Crianças educadas na violência

Aparte

Basta só procurarem aqui no meu blog, inúmeros artigos sobre crianças educadas na violência, e os perigos que existem, ao se educar crianças desta maneira.

Educar crianças na violência, como é o caso da tauromaquia, prejudica gravemente o bem-estar psicológico das crianças.

Ao serem educadas desta maneira, elas vão aprender, como se tornarem psicopatas.

Ou seja; as crianças educadas na violência, como é o caso da tauromaquia, são futuros psicopatas. Vão, por isso, mais tarde, representar um perigo para a sociedade.

Mas o que também me indigna, é o facto, da protecção de crianças e jovens em Portugal, ignorar isto, e não proibir que crianças e jovens, sejam educadas na tauromaquia, como de resto a UNESCO já recomendou!

Mário Amorim

Anúncios

Hiperligação

CRUELDADE

Como não vejo e nem ouço, a RTP e a Antena 1, não sabia que estava a dar um programa sobre tourada. Mas um tio meu chamou-me a atenção disso e sintonizei a antena 1 online. Pude ainda ouvir uma boa parte do programa.

Pude ainda ouvir o deputado do PAN, André Silva, e o deputado do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares.

O Bloco de Esquerda e o PAN, defendem e muito bem a proibição que crianças e jovens, até aos 18 anos, possam estar envolvidos no mundo da tauromaquia, quer a participar, quer a assistir.
E no caso do Bloco e muito bem, defende também o fim da denominação de Matador de touros, em Portugal.

O que está em causa, é que crianças e jovens, em Portugal, não se envolvam quer a participar, quer a assistir, nesse espetáculo violento, chamado tauromaquia, pois tal prejudica gravemente o bem-estar das crianças e jovens, como alias a ONU o afirmou.

Mas, voltando ao programa da Antena 1.
O que pude ouvir por parte dos defensores da tauromaquia, foi mais do mesmo. Os argumentos de sempre. As mesmas patranhas. Mas no meio de tantos argumentos repetidos, ouvi um defensor da tauromaquia, afirmar que levou a sua filha de 7 anos a uma corrida de touros, e que ela passou o tempo quase todo a olhar para o chão. E que nessa altura percebeu que ela não gosta de touradas e nunca mais a levou.

E ouvi, uma ex defensora da tauromaquia, dizer que ia ver espetáculos tauromáquicos, até aos 19 anos. E que aos 19 anos, deixou de gostar da violência exercida sobre o touro, e nunca mais foi a uma corrida de touros.

O espetáculo tauromáquico é um espetáculo que tem como finalidade exercer violência, física e psicológica, não só sobre o touro, mas também sobre o cavalo. E está na hora da maioria dos defensores da tauromaquia perceberem isto.

Esperemos então que a maioria dos deputados, na Assembleia da Republica, deem um salto civilizacional a Portugal, e aprovem os projectos lei, do BE e do PAN!

Mário Amorim

O direito das crianças e dos jovens

O direito das crianças e dos jovens, é viver e conviver em ambientes que respeitam totalmente a sua identidade, como crianças e como jovens. O direito das crianças e dos jovens, é viver e conviver em ambientes que as deixa crescer, como crianças e como jovens.

Por tanto, enviar crianças e jovens para o mundo violento, para o bárbaro mundo da tauromaquia, é não respeitar o seu direito de crescerem como crianças e como jovens. Enviar crianças e jovens para o mundo violento, para o bárbaro mundo da tauromaquia, é educar as crianças e os jovens para a violência, para a barbaridade, e prejudicar gravemente o seu crescimento, como crianças e como jovens. Enviar crianças e jovens para o mundo violento, para o bárbaro mundo da tauromaquia, como está cientificamente provado, é prejudicar gravemente psicologicamente as crianças e os jovens, e tornar essas crianças e esses jovens em pessoas violentas. É tornar essas crianças e esses jovens, em crianças e jovens Psicopatas!

Mário Amorim

Enviar crianças e jovens para a tauromaquia é cometer um atentado contra o bem-estar psiquiátrico das crianças e jovens.

Enviar crianças e jovens para a tauromaquia é cometer um atentado contra o bem-estar psiquiátrico das crianças e jovens.
Enviar crianças e jovens para a tauromaquia é cometer um crime contra os direitos das crianças e jovens.

O lugar das crianças e dos jovens são todos aqueles, em que a sua inocência, o seu bem-estar psiquiátrico, os seus direitos, como crianças e jovens, permaneçam intactos!