CONTEÚDO ANDA Vitória: comércio de marfim é proibido definitivamente na França e Havaí

Reprodução/WorldAnimalNews

O ministro de Ecologia da França, Ségolène Royal anunciou a proibição do comércio de marfim durante uma cerimônia realizada em Nairóbi. O anúncio ocorreu enquanto toneladas de marfim eram queimadas para simbolizar o combate à caça ilegal de elefantes.

A proibição deve entrar em vigor em breve em todo o país e também dará atenção especial a leilões, especialmente de antiguidades. O ministro disse que há planos de expandir essa medida para toda a Europa, informa o World Animal News.

Esta decisão completa uma série de medidas que a França tem feito desde janeiro de 2015 como parte da Lei de Biodiversidade.
Embora o marfim seja regulamentado no país desde 1990, as leis anteriores incluíam itens de antes de 1947, como antiguidades ou marfins em bruto que entraram no país antes de 1990.

O Havaí também acaba de aprovar a lei Senate 2647 que proíbe vendas de marfim, mas alguns grupos são contrários a ela.
A nova lei proíbe quase todas as vendas de produtos feitos de animais ameçados de extinção, como elefantes, baleias, morsas, alguns tubarões e mamutes.

Um elefante é morto a cada 15 minutos para abastecer o comércio marfim, o que significa que entre 25 mil e 35 mil elefantes são mortos a cada ano. Segundo estimativas, uma tonelada de marfim era vendida a cada mês na França.

Fonte: ANDA

Anúncios