GLORIFICAR OS COBARDOLAS DOS FORCADOS?

Resultado de imagem para Forcados

Ontem, num artigo, no sapo, glorificava-se os forcados.
Ao que o sapo chegou. Enfim, que tristeza.

Todos nós sabemos, que o mundo que gira em redor da tauromaquia, é feito por mafiosos, criminosos, assassinos e psicopatas. E no caso dos forcados; criminosos, cobardes e psicopatas.

Alguma vez vimos os forcados enfrentar um touro, que não esteja desgastado, física e psicologicamente, que não esteja em sofrimento, que não esteja mais morto do que vivo, e que não tenha os chifres embolados? – Não. Nunca vimos. E nunca vimos, por uma simples razão, cobardia.

Passei os olhos ao de leve, nesse artigo, no sapo, e vi que apelidava os forcados de corajosos.
Não me façam rir.
Os forcados corajosos?
– Os forcados, não passam de uns cobardolas.
Não enfrentarem o touro, logo a abrir, numa corrida de touros, também diz bem, da cobardia, desses criminosos e psicopatas.

O touro, tem de estar com os chifres embolados, tem de estar cravado de bandarilhas, a sofrer, mais morto do que vivo. Só assim, é que os forcados, do alto da sua cobardia, o enfrentam.

Os forcados, são, na realidade, não um exemplo de coragem, mas um exemplo de cobardia.
Eles, borraram-se de medo, só de pensar em enfrentar um touro, que não tenha os chifres embolados, que não esteja desgastado, física e psicologicamente, que não esteja mais morto do que vivo. E isso que nome tem? – Chama-se cobardia!

Mário Amorim

Anúncios

Que o mundo tauromáquico é um mundo cobarde, já todos nós sabemos. Mas por aqui também se vê cobardia do mundo da tauromaquia!

Os defensores da tauromaquia, dizem que o touro não sofre.
Eles, porque não lhes convém, ignoram o facto de que o touro, tem um sistema nervoso central, igual ao nosso. Como tal; o touro, tal como nós, sofre, sente dor, quando leva com todas aquelas bandarilhas no seu lombo.

E fazem esta alegação, sem o provar.
Fazem esta alegação, sem realizarem uma única corrida, não com seis touros, mas com seis defensores da tauromaquia, que entram na arena de uma praça, para estar no lugar do touro. São seis defensores da tauromaquia, que vão sentir na pele, a dor, o sofrimento que o touro sente, quando as bandarilhas se são cravadas.

E porquê que esta corrida não acontece? – Não acontece, porque os defensores da tauromaquia, não passam de uns cobardes.

Se alegam que o touro não sofre. Como palavras leva-as o vento, provem-no.
Deixem-se de cobardia, e provem-no, com o vosso lombo!

Mário Amorim

Volto a dizer, de que os forcados, não passam de um grupo de COBARDES

Imagem 12º

Volto a repetir o que disse ontem no vídeo e para o vídeo, que pode ser visto e lido AQUI, que é que os forcados são COBARDES.

Custa, não custa?-Paciência. Essa é a verdade. Os forcados são COBARDES, ponto.

Se não vejamos!
Numa arena de uma praça de touros, não enfrentam o touro em primeiro lugar. Enfrenta-no em último lugar.

O touro tem de estar embolado.
Tem de estar cravado de bandarilhas. Tem de estar a sofrer. Tem de estar mais morto do que vivo.
Só depois de estar assim, é que os forcados o enfrentam. E agora pergunto; que nome é que isto tem? -Isto chama-se COBARDIA. Eu sei que vos custa. Mas, temos pena. Vocês, forcados, não passam de um grupo de COBARDES.

E ainda vejamos!
Há algum vídeo, na Net, que mostre os forcados a enfrentar um touro que tenha as suas faculdades físicas e psicológicas intactas, em campo aberto, no campo? – Não há. Não há um único! -E agora pergunto; que nome é que isto tem? -Isto chama-se COBARDIA.

Os forcados acham-se muito valentes. Acham-se muito corajosos. Mas ninguém lhes fale a enfrentar um touro que tenha as suas faculdades físicas e psicológicas intactas. Borram-se todos!

O grupo de forcados, são COBARDES. Não passam de uns COBARDOLAS. E por muito que lhes custe, esta é uma inegável verdade!

Mário Amorim

Gostava de ver…

Touro Majestoso 2º

Gostava de ver, aqueles que se acham muito valentes, a enfrentarem touros, que estejam com as suas faculdades, físicas e psicológicas absolutamente intactas, obviamente como este belo touro da imagem; isto é, com os chifres intactos. E enfrenta-los em pé de igualdade. Enfrenta-los com as suas próprias mãos.

Aqueles que enfrentam os touros nas praças de touros, acham-se muito valentes. Mas são tão valentes, que antes das corridas, os touros têm de ser propositadamente torturados, física e psicologicamente, durante dois dias, para que depois, enfraquecidos e com a sua visão altamente diminuída, eles os possam enfrentar.

Aqueles que enfrentam os touros nas praças de touros, acham-se muito valentes, mas têm de esperar que os touros entrem na arena da praça em sofrimento, físico e psicológico, com os chifres embolados, e depois cheios de bandarilhas espetadas no dorso, para que depois, em bando, numa clara demonstração de cobardia, saltarem para a arena, a fim de enfrentar um touro, que está num atroz sofrimento, depois de tudo o que passou até aí, a fim de enfrentar um touro que está mais morto do que vivo.

Gostava de ver todos aqueles que enfrentam o touro, o enfrentassem, estando ele, com as suas faculdades físicas e psicológicas totalmente intactas, com os chifres intactos e o enfrentassem olhos nos olhos, e apenas com as suas próprias mãos, para que o enfrentassem em pé de igualdade!

Mário Amorim

Forcados. Porque será…???

https://blogcontraatauromaquia.wordpress.com/2015/03/15/olhe-se-bem-para-esta-imagem/
Porque será que os forcados, não têm a coragem de enfrentar o touro, no campo, na natureza? – Os forcados não têm coragem de enfrentar o touro no campo, na natureza, por cobardia!

Os forcados, nas praças de touros, cobardemente atacam um ser sensível, cravado de bandarilhas, num sofrimento atroz, físico e psicológico. Cobardemente atacam um ser sensível, que está mais morto do que vivo, e que tem os cornos embolados.

Há quem diga que os forcados são corajosos. Seriam corajosos, se enfrentassem o touro, com as suas faculdades, físicas e psicológicas, absolutamente intactas e com os cornos, sem estarem embolados. Mas como não é essa a realidade, o que os forcados mostram, nas praças de touros, mais não é do que cobardia!

Mário Amorim

Quero ver II

Tal como referi anteriormente aqui no meu blog, https://blogcontraatauromaquia.wordpress.com/2015/02/13/quero-ver/, quero ver se vai ser em 2015, que pelo menos uma vez, os defensores da tauromaquia vão meter a cobardia numa gaveta, e vão aceitar debater cientifica e eticamente a tauromaquia na televisão, com a presença de alguém que não abdique de cumprir o código deontológico, e que cientifica e eticamente nos prove as alegações, de que o touro nasceu para ser toureado; que o touro gosta de ser toureado; que o touro não sofre; e que com o fim da tauromaquia, o touro de lide vai extinguir-se.

“O touro de lide é um ser sobrenatural” -Quem foi que afirmou isto uma vez, quem foi? -Quem afirmou isto, foi um certo senhor que é ganadeiro e veterinário, e que repetidamente diz este tipo de disparates.

Espero, em 2015, não ver esse senhor na televisão, a dizer, como habitualmente, disparates.

E andou esse senhor na faculdade, a tirar um curso durante cinco anos, onde jurou cumprir o código deontológico.

E onde anda a Ordem dos Veterinários, que nada faz para expulsar esse senhor da Ordem, permitindo, desse modo, que ele diga tantos disparates tal como é seu apanágio?!

Chegou a altura dos defensores da tauromaquia, provarem todas as suas alegações, incluindo que a tauromaquia se sustenta a si própria, e que como tal, não recebe 16.000000 de € subsídios do Estado e da União Europeia. Quero ver se em 2015, vão deixar a cobardia para lá e vão provar tudo, tudo!

Mário Amorim

Quero ver…

Quero ver se em 2015, vou ver a cobardia do costume, por parte de quem defende a tauromaquia. Quero ver se vai ser em 2015, que eles, pelo menos uma vez, vão meter a cobardia numa gaveta e aceitarem um debate sério, ético e cientifico sobre a tauromaquia, na televisão, com a presença, por quem defende a tauromaquia, não de alguém que não respeita a ética profissional, mas alguém que não abdique de cumprir a ética profissional e que cientifica e eticamente, prove que o touro nasceu para ser toureado; que o touro gosta de ser toureado; que o touro não sofre; e que com o fim da tauromaquia e touro extinguir-se-á!

Quero ver se em 2015, vou ver a cobardia do costume, por parte de quem defende a tauromaquia. Quero ver!

Mário Amor