CONTEÚDO ANDA Desmatamento destrói habitats de coalas e ameaça sobrevivência da espéci

coala

O governo de Nova Gales do Sul, na Austrália, está prejudicando os coalas ao permitir o aumento do desmatamento e, portanto, d destruição de seus habitats, de acordo com um documento escrito pela Associação de Parques Nacionais.

A espécie tem sido ameaçada por três políticas que serão colocadas em prática. Por isso, o documento pressiona pela proteção dos lares dos coalas.

“O governo está falhando completamente ao conservar e proteger os habitats dos coalas. Atualmente, coalas são a espécie mais negligenciada na Austrália oriental, o que é extremamente decepcionante tendo em vista como eles são estimados”, diz o documento.

O relatório conclui que os lares dos coalas estão em declínio e sendo ameaçados por planos de renovação terras públicas em acordos que permitem o desmatamento de florestas nativas. Além disso, há leis fracas em terras privadas e uma falha de proteções do governo para identificar mais habitats para a espécie.

Entre 1990 e 2010, as populações de coalas da região registraram uma queda de 30%. Um relatório divulgado em maio pela Agência de Proteção Ambiental (EPA) revelou que todas as populações de coalas de Nova Gales do Sul, com uma possível exceção, continuam a diminuir e há pelo menos uma população considerada ameaçada.

Desde 1997 e 2001, os governos estaduais e federais assinaram acordos regionais de silvicultura, que permitiram o corte de florestas nativas por 20 anos. Os acordos começam a expirar em 2017, mas a política atual do governo federal é de estendê-los.

Uma análise de maio deste ano descobriu que os acordos haviam falhado em todos os seus objetivos e foi acompanhado por uma carta de 30 organizações pelos direitos animais dizendo que sua extensão “constituirá uma decisão irracional por motivos ambientais, econômicos e sociais”.

O documento informativo diz que a EPA precisa intervir e regular a extração madeireira das florestas nativas.

“Precisamos aproveitar a oportunidade para avaliar honestamente os impactos da exploração madeireira e perguntar se vale a pena”, conclui o documento.

Segundo o documento, nos 21 anos desde que a lei foi introduzida, apenas quatro planos de proteção dos habitats de coalas foram aprovados, informou o The Guardian.

“Isso significa que o habitat central do Coala não é identificado e nem protegido na grande maioria das áreas do governo local em Nova Gales do Sul e não há proteção”, disse o relatório.

Com os acordos regionais florestais prontos para serem renovados e os Estado pronto a transpor para aprovar leis de desmatamento a Associação de Parques Nacionais diz que uma medida deve ser adotada para protegê-los.

“Isso significa que deve ser feita uma escolha: queremos proteger os coalas ou permitir que a exploração madeireira e o desmatamento os levem à extinção?”, questionou o órgão.

Fonte: ANDA

Anúncios