NA CHAMUSCA FOI ASSIM: O PRESIDENTE DA CÂMARA QUERIA PORQUE QUERIA UMA TOURADA E PAGOU CERCA DE TRINTA E UM MIL EUROS PARA VER…

Isto não é genial?

Isto não é de gente com demasiada “coltura”?

Na Chamusca as carências sociais podem esperar… Mas tortura de Touros não pode faltar….

O pessoal nem dormia bem de noite!!! Bolas!

CHAMUSCA.png

Lê-se na notícia:

«A Câmara da Chamusca investiu dinheiros públicos na organização de uma corrida de toiros na vila, porque temia que o empresário concessionário da praça não fizesse o espectáculo e por capricho do presidente, que queria escolher o cartel de artistas.

O município contratou organização da tourada por ajuste directo, num valor de 30.564 euros (24.849 euros sem IVA), tendo vendido os bilhetes a 15 euros e oferecido as entradas a 300 pessoas que participaram num desfile etnográfico, tendo cobrado entradas mais baratas, a 10 euros, aos acompanhantes dos participantes.»

O cartel foi escolhido pela autarquia, e o presidente da Câmara, Paulo Queimado, disse esta coisa espantosa: «a realização da corrida foi estratégica para a promoção do município», é que «são estas pequenas coisas que fazem a grande diferença»…

Então não foi uma promoção para o município?

O mundo saberá que na Chamusca o presidente da Câmara municipal esbanja dinheiros públicos na tortura de ser vivos, que é assim um evento ao nível da ópera e do ballet (de acordo com a professora catedrática Maria Alzira Seixo), e isto dá um grande prestígio à vila, então não dá? Principalmente entre as pessoas cultas e civilizadas.

E realmente são estas pequenas coisas que fazem a grande diferença entre o atraso civilizacional e a evolução que, na Chamusca, ficou a vários milhares de quilómetros de distância.

E então é assim: o presidente da Câmara retirou do erário público 30.564 euros. A receita da bilheteira ficou em cerca de 18.900 euros, e o autarca, que é um génio a Matemática, disse que as contas das despesas e das receitas «ficaram ela por ela»…

Então não ficaram?

E depois não querem que se diga que a selvajaria tauromáquica é uma questão do foro da psiquiatria…

Fonte:

O Mirante

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios

E os Psicopatas da “Pró-toiro”, afirmam que a tourada não é financiada em Portugal. Pois não, não é?! Palavras para quê??? Câmara da Chamusca paga para haver tourada

Município queria muito uma corrida de toiros na vila com o cartel que escolhesse

A Câmara da Chamusca investiu dinheiros públicos na organização de uma corrida de toiros na vila, porque temia que o empresário concessionário da praça não fizesse o espectáculo e por capricho do presidente, que queria escolher o cartel de artistas.

O município contratou organização da tourada por ajuste directo, num valor de 30.564 euros (24.849 euros sem IVA), tendo vendido os bilhetes a 15 euros e oferecido as entradas a 300 pessoas que participaram num desfile etnográfico, tendo cobrado entradas mais baratas, a 10 euros, aos acompanhantes dos participantes.
O cartel escolhido pela autarquia, para a corrida de 3 de Setembro, foi constituído pelos cavaleiros Rui Salvador, Rui Fernandes e pelo ainda recente matador português Manuel Dias Gomes.

O presidente da câmara, Paulo Queimado, considera que a “realização da corrida foi estratégica para a promoção do município”. O autarca entende que são “estas pequenas coisas que fazem a grande diferença”.

A receita da bilheteira ficou em cerca de 18.900 euros e para o autarca, as contas das despesas e das receitas “ficaram ela por ela”.

Fonte: O Mirante