“Patrocínio do CDS vem politizar a barbaridade da tauromaquia”

Para quem quer abolir a tourada, o apoio do CDS “é bom”, diz Vital Moreira.

A Juventude Popular (JP) vai organizar uma tourada e o evento já está a causar alguma polémica.

Para Vital Moreira, este “patrocínio oficial das touradas pelo CDS, em nome da ‘tradição’” é bom “para a causa abolicionista”.

Na perspetiva do cabeça de lista do PS às Europeias de 2009, esta situação “vem politizar explicitamente a barbaridade da tauromaquia e deixa em maus lençóis os poucos que à esquerda apoiam a crueldade da tortura de animais para gáudio público”.

A partir de agora, escreve Vital Moreira no blogue Causa Nossa, “é claro que as touradas têm um partido e é nele que se devem rever os “aficionados” militantes da causa tauromáquica”.

Fonte: Notícias ao Minuto

Anúncios

«TOURADA VOLTA AO CDS PELA MÃO DA JP COM APOIO “APAGADO” DA DIRECÇÃO»

«Uma vergonha e um escândalo! Uma direcção (CDS) cobarde e hipócrita (Cristas é “católica”, o partido é faz de conta). Boicote-se o CDS, enquanto mantiver esta postura!»

Recebi, via-email,o texto que foi editado no jornal Público sob o título acima referido, pelas mãos de um amigo, com este recadinho, que faço completamente meu.

JP1.jpg
É esta “tradição” sanguinária que a JP defende. E dizem que são eles que gostam do Touro. Nós, que o defendemos, não gostamos… (dizem). Por aqui podemos imaginar o que fariam ao infeliz Touro se não gostassem dele.

É que o CDS continua com os pés fincados num passado que já passou de moda, e com palavras de “futuro” na boca da sua presidente, que sempre apoiou a tauromaquia, enquanto Ministra da Agricultura do governo anterior, e continua a apoiar como deputada e presidente do CDS, votando a favor de subsídios para que duas dezenas de famílias de ganadeiros vivam à tripa forra, à custa dos impostos dos portugueses, e aceitando que inocentes e desprotegidas crianças possam praticar e assistir a esta selvajaria: á crueldade e à violência que é a tortura de Touros.

Porém, como as touradas estão na mó de baixo, e os seus praticantes, aficionados e apoiantes começam a ser olhados de lado, como indivíduos afectados por uma doença perversa, do foro mental, há quem queira distanciar-se disfarçadamente…

E o texto que Luciano Alvarez escreveu para o jornal Público dá-nos um panorama absolutamente bizarro que claramente se encaixa no que os especialistas em distúrbios mentais chamam de mentes deformadas.

Cristas não quis ver o nome do partido associado à “corrida de touros em defesa das tradiçõescomo disse Jorge Rosa, o jotinha encarregado da secção de tradição e cultura na comissão política nacional, mas não se opõe a tal iniciativa, até porque “quem quer vai quem não quer não vai”, que é algo muito condizente com a mentalidade dos que apoiam estas práticas que nada têm a ver com “gostos” mas com taras. E hoje, mais do que nunca, com o progresso das ciências sabemos que assim é.

Os jotinhas acham que a selvajaria tauromáquica é uma tradição cultural que tem de ser defendida, desconhecendo que a tradição é a personalidade dos imbecis (de acordo com Albert Einstein, e este sabia bem o que dizia).

Tivemos o ‘ok’ [da direcção] um bocadinho apagado, mas deram o seu apoio à realização e divulgação da corrida”, afirmou o Jorge Rosa. É que Assunção Cristas dá uma no cravo e outra na ferradura, pensando que, com isso, lava as mãos sujas do sangue derramado por indefesos seres vivos, que são massacrados para divertir os sádicos.

Entre os centristas há os que nem são carne nem peixe, são os nins que não fazem evoluir o mundo, e também pensam que tomando essa posição dúbia lavam as mãos ensanguentadas, como Adolfo Mesquita Nunes, que justifica a sandice desta iniciativa da JP, com outra sandice. Diz ele que «autarquias do PS, BE, PCP e PSD também organizam corridas de touros, mas não sendo um “proibicionista” não pede o seu fim. Não frequento, mas não peço que sejam proibidas», e acredita que a corrida da JP não causa qualquer incómodo ao CDS.

Pois não causa. Porque haveria de causar, se o CDS é aficionado desde os pés à cabeça?

E pronto. Está tudo dito.

Os jotinhas já nasceram velhos, com as mentes mirradas, e quando isto acontece, é impossível injectar-lhes a modernidade, para que percebam que os divertimentos dos jovens modernos, do século XXI da era cristã, são, por exemplo, os festivais de Verão, onde milhares de jovens saudáveis cantam e balançam os corpo ao som da música do mundo…

PJ2.jpg

Mas os jotinhas preferem as touradas, um entretenimento de velhos a cheirar ao mofo do século XII. Os jotinhas adoram ver imagens como esta:

E a isto acham “tradição” e acham que é muito “cultural”… e existe uma razão nobre para torturarem um ser senciente e indefeso a este ponto…

Atente-se no que disse a JP:

A JP garante que o evento não nasceu «para fazer política, ou para atrair militantes, mas sim “por razões mais nobres».

Então que razões mais nobres serão essas?

Pasmem:

«Sendo CDS e a JP conservadores, cabe-lhes defender as tradições do país. A tourada é uma das nossas tradições mais bonitas e passa a vida a ser atacada pelos partidos de esquerda no parlamento e mais recentemente pelo PAN [Partido dos Animais e da Natureza] que usam as suas vozes raivosas contra a festa brava. O CDS é único partido que defende esta tradição da cultura portuguesa porque é a memória de um povo que mantém vida a identidade de um país”, diz Jorge Rosa.

Ó Jorge Rosa, quantos anos tem? Pelo menos uns 850 anos terá, mas com boas probabilidades de serem mais…

Não é só o PAN que ataca, não com vozes raivosas (raiva têm os jotinhas dos belos touros, por isso os torturam com convicção) mas com as vozes da Razão, da Ética, da Moral, da Evolução, da Civilização… É o mundo inteiro evoluído, moderno e jovem que ataca, rejeita e condena estas práticas mofosas, ultrapassadas e completamente desadequadas â Humanidade do terceiro milénio d. C.

Quanto às críticas que os grupos anti-tourada lhes dirigem, o jotinha Jorge Rosa não só não se surpreende com elas, como diz esta coisa espantosa: «São pessoas que não gostam de touros. Aqueles que os criam, os que os lidam e pegam e os que assistem, esses sim gostam de touros».

Então não gostam? Mais do que gostar, adoram vê-los espetados com bandarilhas, a sangrar, a sofrer, a berrar com dores… Adoram, aplaudem, deliram, babam-se e masturbam-se mentalmente, pois só assim se sentem vivos.

E depois não querem que se diga que a tauromaquia é uma doença do foro psiquiátrico.

Mas tem mais, mandam-nos ler o veterinário Joaquim Grave (não é para rir?) para percebermos (pasmem) «as diferenças entre dor e sofrimento e entre humilhação e adrenalina que o animal sente durante a lide», como se o Joaquim Grave fosse um Médico Veterinário a sério. Poderá ser veterinário… Mas não Médico, se fosse Médico não seria tão ignorante nas suas “afirmações”, que envergonham a classe dos Médicos Veterinários.

Também diz o jotinha que quem defende o fim das touradas «não percebe que, se elas acabarem acaba, também o touro de lide». “É o fim da raça, se as touradas acabarem, acaba a raça. É isso que querem?».

Eu respondo:

Por aqui há uma ignorância descomunal, mas tão descomunal que se perde de vista.

Dou-lhes o benefício da dúvida. Coitados, dirão tudo isto que disseram porque foi isto que lhes impingiram desde a nascença, e cresceram a ouvir estas mentiras seculares, que já vêm do tempo das trevas. Daí acharem que isto é verdade. E repetem-no com tanta inocência que até dói.

Jotinhas, para que não morram ignorantes, deixarei aqui uns links, onde podem ler a verdade verdadeira que envolve a doença do foro psiquiátrico, denominada tauromaquia.

Façam um favor a vós próprios, para não andarem pelos jornais a esparramar tanta ignorância: leiam estes artigos. E se depois de os lerem optarem pela ignorância, devo dizer-vos que são um caso completamente perdido para a Racionalidade.

A VERDADE PERVERSA SOBRE A TORTURA DE TOUROS E CAVALOS, ANTES, DURANTE E DEPOIS DA LIDE

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/484004.html

«A TOURADA, RAZÃO DA EXISTÊNCIA DO TOURO BRAVO?» OU A QUEDA DE UM MITO

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/98835.html?thread=1885459#t1885459

A TOURADA VISTA POR UM MÉDICO VETERINÁRIO

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/572988.html

VERDADES SOBRE AS TOURADAS QUE OS TAURICIDAS DIZEM SER MENTIRAS

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/verdades-sobre-as-touradas-que-os-606277

TAUROMAQUIA – DOENÇA DO FORO PSIQUIÁTRICO

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/tauromaquia-doenca-do-foro-673168

TORTURA DE TOUROS E CAVALOS DEMONSTRAM O GRANDE ATRASO CIVILIZACIONAL DOS SERES PRÉ-HUMANOS

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/tortura-de-touros-e-cavalos-demonstram-665248

INTOLERÂNCIA?

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/intolerancia-674968

A ORIGEM CIENTÍFICA DA “AFICIÓN”

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/a-origem-cientifica-da-aficion-673814

«QUANDO NÃO TIVEREM FRUTOS COMAM OS TRONCOS» – DIÁLOGO ENTRE UM HOMO SAPIENS E UM HOMO PARVUS

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/quando-nao-tiverem-frutos-comam-os-674792

 

Fonte da notícia, que pode ser lida na íntegra aqui:

https://www.publico.pt/politica/noticia/tourada-volta-ao-cds-pela-mao-da-jp-com-apoio-um-bocadinho-apagado-da-direccao-1743267?page=2#/follow

Fonte: Arco de Almedina

Tourada, circo e agropecuária escapam à criminalização de maus-tratos a animais

Alteração foi apresentada pelo CDS, que estava preocupado que a lei pudesse aplicar-se a explorações agropecuárias, touradas ou circos.

O CDS-PP introduziu esta quinta-feira um artigo ao diploma que criminaliza dos maus-tratos a animais de companhia que salvaguarda as suas preocupações de que a lei pudesse de alguma forma aplicar-se a explorações agropecuárias, touradas ou circos. O diploma deverá ser aprovado sexta-feira, no último plenário da actual sessão legislativa.

Um texto de substituição, que deu entrada na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, acrescenta um artigo que estabelece que a criminalização dos maus-tratos “não abrange os animais utilizados em exploração agrícola, pecuária ou agroindustrial, assim como os utilizados para fins de espectáculo comercial ou outros fins legalmente previstos”.

Nos outros “fins legalmente previstos” inclui-se sobretudo a investigação médica, explicou à agência Lusa fonte da maioria PSD/CDS-PP.

A criminalização dos maus-tratos a animais de companhia já tinha sido aprovada na especialidade, na semana passada, numa votação artigo a artigo na qual a deputada do CDS-PP Teresa Anjinho tinha votado contra o artigo de alargamento dos direitos das associações zoófilas.

Este artigo equipara as associações zoófilas a organizações não-governamentais ambientais, dando-lhes o direito a constituírem-se assistentes em processos e dispensadas do pagamento de custas judiciais.

Fonte do grupo parlamentar do CDS-PP disse na altura à Lusa que, como aquela parte do articulado se referia à protecção animal, em geral, e não apenas aos animais de companhia, tinha dúvidas quanto uma eventual futura “apresentação de queixas, designadamente a explorações agropecuárias, com isenção de custas”, por parte das associações zoófilas.

Os artigos da criminalização dos maus-tratos a animais de companhia foram aprovados com os votos favoráveis do PSD, PS, CDS-PP e BE e os votos contra do PCP.

O projecto de lei estabelece que “quem, sem motivo legítimo, infligir dor, sofrimento ou quaisquer outros maus-tratos físicos a um animal de companhia é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias”.

Em caso de abandono, está prevista uma “pena de prisão até seis meses de prisão ou com pena de multa até 120 dias”.

Se dos maus-tratos resultar a morte do animal de companhia, “a privação de importante órgão ou membro ou a afectação grave e permanente da sua capacidade de locomoção, o agente é punido com a pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias”.

Fonte: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=27&did=156825

***

 

Será que percebem, finalmente?

-No que diz respeito a Portugal, lobby político sem ao mesmo tempo fazer uma forte pressão de fora…, não iremos lá.
-Não acredito, e depois disto, ainda menos acredito, que sem uma luta conjunta, de todos os países que têm tauromaquia, e em conjunto, com a opinião publica fazendo-se ouvir e forçando os deputados dos diversos países a agir, tão cedo a tauromaquia acabará, nos países aonde existe.
-E no que diz respeito a Portugal, os circos com animais não-humanos só serão proibidos, quando a opinião publica, fazer-se ouvir e forçar os deputados, na Assembleia da República a acabar com os circos com animais não-humanos!

Tal como os direitos-humanos, a luta pelo fim do massacre e morte dos golfinhos; a luta pelo massacre e morte das baleias; das focas; a erradicação de espectáculos com baleias, golfinhos e focas; o fim da caça; o fim da caça de Elefantes; de Rinocerontes; o fim da Tauromaquia; dos Circos com animais não-humanos, e muitos outros exemplos que poderia dar, todas são lutas que não pertencem a um só país; a uma região, mas pertencem, todas ao mundo. Por tanto, a luta para erradicar todas estas práticas barbaras e outros exemplos que poderia dar, tem de ser Universal!

 

Mário Amorim