TOUREIROS E FORCADOS

Resultado de imagem para toureiro

Resultado de imagem para toureiro a cavalo

Resultado de imagem para touradas e forcados

Toureiros e forcados, percebam, de uma vez por todas, de que a vossa atitude, para com o touro e para com o cavalo, vos vai ser castigada.
A vossa atitude para com estes dois belos seres sencientes, não vai passar em claro para vocês.
Vocês irão colher o que semeiam, nas arenas das praças de touros.
Vocês escolheram provocar a dor, o sofrimento e a morte, nas praças de touros. E isso, vai-se virar contra vocês. E ainda mais, no momento de uma Maravilhosa mudança de Gaia.
Vocês julgam que a vossa atitude, passará impune. Mas estão redondamente enganados. Não vos vai passar impune!

Mário Amorim

OS BONS SENTIMENTOS

Os bons sentimentos, são quando nos colocamos no lugar do outro.
Se sabemos que o que queremos, vai directamente, ou indirectamente, magoar, ferir, causar dar ao outro, pomo-nos imediatamente no seu lugar e nos perguntamos se gostaríamos que ele nos fizesse o mesmo!
E é este exercício que quem defende a tauromaquia, deveria fazer.
Deveria por momentos, tentar por-se no lugar do touro e se perguntar se gostaria de passar pelo mesmo sofrimento, pela mesma dor que o touro passa numa praça de touros.
Todos nós, seres humanos, temos o direito de não sofrer, de não sentir dor.
E todos os outros seres sencientes, têm o mesmo direito de não sofrer, de não sentir dor que nós, seres humanos.
Como tal, não temos o direito de causar dor, de causar sofrimento a outro ser, humano e não-humano.
Os defensores da tauromaquia, os da arena e os da bancadas, não têm o direito de provocar dor, de provocar sofrimento, directo e indirecto, ao touro e ao cavalo!

BASTA DE TAUROMAQUIA, JÁ!

Mário Amorim

BOM KARMA!

Bom karma é lutar pelo bem-estar do touro e também do cavalo.
Bom karma é ser contra as touradas.
Bom karma, é olhar para os olhos do touro, e perceber que o que ele quer, é ter alegria, é ter felicidade, é ter bem-estar, onde nasceu, até morrer.
Bom Karma, é perceber que o touro, tem o mesmo direito ao seu bem-estar; à sua felicidade do que tu.
É perceberes que o touro, não é inferior a ti. É igual a ti.
É entenderes, de uma vez por todas, que a ABOLIÇÃO das touradas é o único caminho!

Mário Amorim

MAU KARMA!

Quando causamos dor, quando causamos sofrimento a um outro ser sensível, estamos a criar mau karma, a nós próprios. E a não ser que imediatamente procedamos à sua correcção, esse mau karma, vai virar-se contra nós próprios.
E é isto que acontece nas touradas.
Aqueles que causam dor, que causam sofrimento ao touro, criam mau Karma contra eles próprios. E esse mau karma, irá virar-se contra eles, mais tarde ou mais cedo.
Eu não quero que nenhum ser senciente sofra. Seja ele humano, ou não humano. Só estou a dizer algo que quem tortura, quem é cruel para com o touro, não leva a sério.
Mas isto é uma realidade.
É uma realidade, à qual não podemos fugir.
É uma realidade que aqueles que são cruéis para com o touro e para com o cavalo, nas praças de touros, não podem fugir!

Mário Amorim

GOSTARIA QUE OS PSICOPATAS TAUROMÁQUICOS, AMANHÃ, NO PRÓS E CONTRAS, RESPONDESSEM A UMA QUESTÃO MUITO SIMPLES!

Resultado de imagem para palavra liberdade

Enchem a boca para falar de liberdade de ir ás touradas.
Mas deixo uma pergunta muito simples, que gostava que os Psicopatas tauromáquicos amanhã, respondessem, no Prós e contras: e a liberdade do touro e do cavalo, de não serem física e psicologicamente torturados para vosso gáudio. Onde fica?
– Da liberdade do touro e do cavalo, vocês não falam!
Pois é, liberdade, liberdade, liberdade, ás custas do sofrimento do touro e do cavalo, físico e psicológico. A nossa liberdade acaba, quando começa a liberdade dos outros. Ou melhor dizendo: a vossa liberdade termina, quando começa o direito do touro e do cavalo, de não serem violentamente tratados, para vosso gáudio.

Quem é contra as tauromaquia e luta contra ela, é civilizado.
E quem vai assistir a tauromaquia. Quem cria touros, para depois serem vítimas de crueldade.  Quem tortura o touro e o cavalo na arena, física e psicologicamente. Quem recebe por ano 16 Milhões de € de subsídios, para ser cruel para com o touro e para com o cavalo, é incivilizado!

Por tanto; quem fala em liberdade de ir ás touradas, ignorando, por completo o direito do touro e do cavalo, de não serem torturados, física e psicologicamente, para seu deleite, mais não é do que uma pessoa incivilizada!

Mário Amorim

«A TOURADA VISTA POR UM MÉDICO VETERINÁRIO COM EXPERIÊNCIA EM ESPECTÁCULOS TAUROMÁQUICOS!»

Obrigada Dr. Vasco Reis.

Haja alguém com lucidez!

O seu texto é precioso. Mas como em madeira velha só entra caruncho, os deputados da Nação disseram não à racionalidade, porque não entendem nada do que lhes dizemos.

VASCO REIS.jpg

«PERCURSO DO TOURO ANTES, DURANTE E DEPOIS DA TOURADA!

O touro vive uns 4 anos na campina habituado à companhia de outros da mesma espécie em espaço largo e com razoáveis condições. Terá já passado por momentos violentos de ferra, de tentas. É escolhido para a lide numa tourada. Com ou sem sedação, apartam-no violentamente, com muito uso do bastão eléctrico, para uma manga e enfiam-no numa caixa apertada onde mal se pode mexer.

A ansiedade provocada pelo aperto cresce em tremenda claustrofobia ao passar da liberdade e tranquilidade da campina para o “caixote” onde fica confinado, violentamente afastado da companhia importante dos outros bovinos a que o ligam laços emotivos. A seguir cresce o pânico do transporte. Depois a espera, com pouco ou nenhum alimento e bebida. Talvez sendo injectado, a ponta dos cornos será cortada, provavelmente, até ao extremo vivo e muito enervado, ficando extrema e dolorosamente sensível ao contacto. Para não sangrar, cauteriza-se a sangue frio. (Há touros que não resistem a esta operação e morrem de acidente cardiovascular provocado pelo sofrimento). Sofre outras acções destinadas a fatigá-lo, debilitá-lo, retirar-lhe capacidade para a lide.

Mais tarde, a condução ao curro escuro da praça de touros. É empurrado a seguir para a arena (beco sem saída) suportando logo o enorme alarido da multidão e da música ruidosa (para se sobrepor aos seus berros), o que ainda mais o assusta, a visão ficando ofuscada pela luz do sol. Depois a provocação, o engano, o cravar das bandarilhas/arpões, que o ferem e magoam terrivelmente, através da pele, e não só, pois frequentemente também aponevroses, alguns músculos, tendões, vértebras, espáduas e, por vezes, até pleura e pulmão são atingidos, quando erroneamente cravado entre costelas. Tudo isto o faz sangrar e sofrer, o enfurece, magoa, deprime e esgota. Cavaleiros ou bandarilheiros massacram-no. Depois, exausto, física e psicologicamente, segue-se a (ou as pegas) pelos forcados, A seguir é retirado com as “chocas”. É amarrado e imobilizado por cordas em volta dos cornos. Brutalmente, tal como foram cravados, os ferros são agora retirados sem anestesia, arrancados ou por corte do couro.

No final de tudo isto, o animal é metido no transporte, esgotado, ferido e febril, em acidose metabólica horrível que o maldispõe e intoxica, até que a morte, habitualmente só alguns dias mais tarde, o liberte de tanto sofrimento. Frequentemente fica, até esse momento, encerrado em veículos de transporte num espaço exíguo, sabe-se lá com ou sem alimento e água e submetido a elevadas temperaturas.

E ninguém, independente, pode controlar isso.

PERCURSO DO CAVALO EXPLORADO NO TOUREIO!

O cavalo sofre esgotamento e terrível tensão psicológica ao ser usado como veículo, sendo dominado, incitado e lançado pelo cavaleiro e obrigado a enfrentar o touro, quando a sua atitude natural seria a de fuga e de pôr-se a uma distância segura.

À força de treino, de esporas que o magoam e ferem, de ferros na boca e da barbela – corrente de metal à volta da mandíbula, que o magoam e o subjugam, o cavalo arrisca morte por síncope/paragem cardíaca, ferimentos mais ou menos graves e, até, a morte na arena por ser atingido pelo touro.

 OPINIÃO!

É difícil, senão impossível, acreditar que toureiros e cavaleiros tauromáquicos amem touros e cavalos, quando os submetem a violência, risco, sofrimento.

O mesmo se aplica aos aficionados, que aceitam isso.

Questiono-me: porque se continua a permitir uma actividade que assenta na violência e no sofrimento público de animais, legalizado e autorizado por lei e até apreciado, aplaudido e glorificado por alguns?

Numa verdadeira democracia não deveria ser permitida nem legalizada a tortura de animais.

PERGUNTA FUNDAMENTAL!

E senhoras e senhores Deputad@s da Assembleia da República de Portugal o que acham e como vão votar? Pela abolição ou pela manutenção desta terrível violência contra seres sencientes (como os humanos) e indefesos e inocentes.

RECOMENDAÇÃO PARA TOMADA DE CONHECIMENTO!

Recomendo aqui uma tomada de conhecimento da científica DECLARAÇÃO DE CAMBRIDGE SOBRE A CONSCIÊNCIA EM ANIMAIS HUMANOS E NÃO-HUMANOS de 7 de Julho de 2012 editada por Philip Low.

E mais dados científicos:

Os animais humanos e não humanos são seres dotados de sistema nervoso, mais ou menos desenvolvido, que lhes permitem sentir e tomar consciência do que se passa em seu redor e do que é agradável, perigoso e agressivo e doloroso.

Estes seres experimentam sensações, emoções e sentimentos muito semelhantes. Este facto leva-os a utilizar mecanismos de defesa e de fuga, sem as quais, não poderiam sobreviver. Portanto, medo e dor são condições essenciais de sobrevivência.

Afirmar-se que, nalguma situação não medicada, algum animal possa não sentir medo e dor se for ameaçado ou ferido, é testemunho da maior ignorância, ou intenção de negar uma verdade vital, falácia para tentar ocultar a crueldade da tauromaquia.

A ciência revela que o esquema anatómico, a fisiologia e a neurologia do touro, do cavalo e do homem e de outros mamíferos são extremamente semelhantes.

As reacções destas espécies são análogas perante a ameaça, o susto, o ferimento. O senso comum apreende isso e a ciência confirma-o.

Depois desta explicação, imaginem o sofrimento horrível que uma pessoa teria se fosse posta no lugar de um touro capturado e conduzido ao “calvário” de uma tourada.

CONCLUSÃO:

Seres humanos (tauromáquicos) não devem provocar a outros seres de sensibilidade semelhante (touros e cavalos), sofrimentos a que os próprios agressores (tauromáquicos) não aceitariam ser submetidos.

Porque é a desgraçada vítima dos chamados humanos, “corrido” e torturado?

Para diversão de aficionados, para o alimentar de egos e vaidades, para negociatas de tauromáquicos e no prosseguimento de uma cruel e obsoleta tradição.

É mais do que justo e chegado o tempo da abolição, o que só peca por tardar!!!

As importantes verbas que são atribuídas no apoio à tauromaquia e as isenções que lhe são oferecidas, seriam com justiça e utilidade, preferencialmente, utilizadas para mitigar imensas necessidades!

A tauromaquia é uma vergonha nacional.

Vasco Reis,

Médico veterinário aposentado

Aljezur»

Fonte: Arco de Almedina

RAZÕES DA CADA VEZ MAIOR PUTREFACÇÃO DA TAUROMAQUIA, EM PORTUGAL

A tauromaquia, em Portugal, está cada vez mais putrefacta. E estas são as razões.

Os Psicopatas Tauromáquicos, não conseguem provar cientificamente, incluindo com publicação numa revista cientifica, as alegações sobre o touro.
Os Psicopatas Tauromáquicos, não são capazes de provar, com documentação, a alegação que a tauromaquia se subsidia a si própria. Não são capazes de provar, com documentação, que não recebem anualmente, milhões de € de subsídios, do Estado, da União Europeia e das Camaras Municipais.

Eles sabem, que os milhões de € de subsídios que anualmente recebem, numa questão de tempo, vão acabar. E sem eles, a tauromaquia será abolida. Pois são esses milhões de € que permitem a sua existência, em Portugal.

Os Psicopatas Tauromáquicos, não são capazes se realizar uma sondagem séria, e completamente imparcial, por todo o continente e ilhas. Pois sabem muito bem, qual seria o resultado.

As praças de touros, estão cada vez mais as moscas. E nem com entradas de borla, e com convites, elas enchem.

Cada vez mais pessoas, por não quererem ser vistas como Psicopatas, se afastam da tauromaquia, e passam a lutar contra a tauromaquia.

Cada vez mais pessoas, se recusam a ser coniventes, com os Psicopatas, os Sociopatas que torturam, física e psicologicamente o touro e o cavalo, na arena de uma praça da touros, e se afastam da tauromaquia.

Ontem, virão o seu projecto derrotado, o que aumentou, ainda mais o estado de putrefacção da tauromaquia.

O desespero dos Psicopatas Tauromáquicos é cada vez mais crescente e evidente.

Em suma. A ABOLIÇÃO da tauromaquia, em Portugal, está cada vez mais perto!

Mário Amorim