CARTA EXPRESSAMENTE DIRIGIDA AOS QUE FAZEM A APOLOGIA DAS TOURADAS

(Quer tenham “canudos” universitários ou sejam incultos, encruados ou simplesmente pré-humanos)

As palavras são da minha amiga Maria João Gaspar Oliveira, que as dirigiu à CMTV, na esperança de demover esta estação televisiva de transmitir a crueldade descrita nesta carta (caso a notícia do Farpas Blogue não seja falsa).

Faço minhas estas palavras, e dirijo-as aos que irracionalmente fazem a apologia das touradas.

Leiam a carta, porque depois de a lerem, se forem o “ser humano” que apregoam ser, mudarão de ideias, porque só um bloco de cimento armado não muda de ideias.

TORTURA.jpg
Este pescoço podia ser o teu, tauricida, e se fosse o teu, sofrerias exactamente os mesmos horrores que este desditoso animal, senciente e indefeso, sofre, quando lhe rasgam as carnes…

«Exmos. Senhores:

Mal posso acreditar que a CMTV venha a transmitir touradas, pois ainda estou convicta de que os vossos valores são incompatíveis com a barbárie e o lobby tauromáquico.

Em pleno século XXI, este “espectáculo” medieval é inconcebível e extremamente cruel. Os touros têm um sistema nervoso complexo. Há terminais nervosos nas zonas onde lhes cravam ferros pontiagudos, de 8 centímetros de comprimento, com arpões de 4 cm aguçados nas pontas. Os músculos que sustentam a cabeça são propositadamente rasgados, para o animal a baixar, tornando, assim, as investidas mais inofensivas… Os urros de dor que o touro solta quando, já num caixote exíguo, lhe arrancam as farpas, são bem elucidativos. Como se tudo isto fosse pouco, o animal, por vezes, chega a ficar com dores atrozes, febre e convulsões, durante um, dois ou mais dias, à espera de ser abatido!

Há também a considerar o sofrimento dos cavalos (morrem cerca de 200, por ano…), os quais, além de ficaram, de vez em quando, esventrados nas arenas, são feridos pelas esporas, os puxões das rédeas afectam-lhes a cervical, o freio atravessado sobre a língua provoca-lhes ferimentos nos lábios, gengivas, palato, os pré-molares quebram-se, e os ossos nasais deslocam-se.

Como pode o ser humano dito civilizado, divertir-se com tão cruel sofrimento? Só a compaixão pode construir um mundo mais justo e fraterno.

Peço também ao grupo Cofina que não esqueça as crianças, cujos pais não se apercebem desta “pedagogia” da tortura que as torna frias e insensíveis, privando-as do direito de crescer de forma saudável a nível físico, psíquico e afectivo, precisamente quando a sua personalidade está em formação.

A Corrida Vidas/Correio da Manhã fomenta também este flagelo e beneficia a indústria tauromáquica. É urgente que a CMTV tenha a coragem de denunciar a barbárie e não de a fomentar, colocando-se, assim, ao lado dos mais frágeis (como já o faz em relação às pessoas mais desfavorecidas e injustiçadas…), tendo também em conta quem luta contra a tortura, e que sofre brutalmente com a sua própria impotência, perante a barbárie.

Pedindo, encarecidamente, a V. Exas., que esse canal não transmita tal “espectáculo”, agradeço o favor de me informarem se esta notícia tem algum fundamento, ou se se trata, apenas, de um boato do blogue tauromáquico “Farpas”.

Convicta de que não solto um grito no deserto, mas sim um apelo bem ouvido e compreendido, subscrevo-me com estima e consideração.»

 

Maria João L. Gaspar de Oliveira – COIMBRA

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios