COMO PENSO QUE TEM DE SER

Antes demais.
Não tenho duvida alguma que a minha franqueza, gerou muitos anti-corpos, no universo anti-tauromaquia. Mas não faz mal. Não irei deixar de dizer o que penso.
E é o que vou fazer neste texto. Dizer o que penso. Mais uma vez, dizer o que penso
.

Vamos lá então!

Quando há muitos anos atrás, comecei a lutar contra a tauromaquia em grupo, com a criação de um grupo, no antigo Ning, uma série de palavras eram o mote para dar inicio a essa luta.
E que palavras eram essas?
-Eram: a Determinação, o Querer, a Ousadia, o Arriscar, a Exigência, a Meta.
Estas palavras eram e são máximas minhas!
Depois, com a mudança que o Ning fez, tive de mudar para o Facebook.
Não demorou muitos anos, a perceber, que eu era uma das poucas pessoas que queria lutar com Determinação, com o Querer, com a Ousadia, com o Arriscar, com a Exigência na Meta, pela Abolição da Tauromaquia.
Verifiquei então, que poucas eram as pessoas, que eram Determinadas na abolição da Tauromaquia. E resolvi abandonar a luta em grupo. E passar a lutar sozinho, a partir de blog.

Sou uma pessoa de causas.
Vou contar, pela primeira vez, na Net, algo sobre mim.

O massacre de Santa Cruz em Díli, em Timor-Leste, no dia 12 de Dezembro de 1991, foi um momento que me chocou, que me abalou profundamente. Sofri bastante.
E nessa altura disse para mim mesmo; Mário, não vais ficar de braços cruzados. Vais fazer alguma coisa pelo povo timorense. E assim foi!
Pedi um amigo britânico que tinha, que me traduzisse para inglês, uma carta, abaixo-assinado que queria enviar para o Presidente Bill Clinton.
Com ela em minha posse, recolhi dezenas de assinaturas e enviei-a.
Lutei por Timor Leste, sozinho, durante 14 anos. Dei tudo o que tinha pelo povo timorense.
Só no fim, é que passei a lutar no PSR.

Ou seja. Quando me envolvo na luta por causas, nas quais acredito, luto com Determinação, com o Querer, com Ousadia, com o Arriscar, com a Exigência pela Meta que quero alcançar.

A pessoa que mais admiro, na luta animalista, na luta pelo bem-estar dos oceanos, é o Capitão Pete Bethune. Ele personifica tudo aquilo que a luta por uma causa na qual se acredita, deve ser.
Se a luta, em grupo, não personificar a Determinação, a Ousadia, a vontade de vencer, o ser duro de roer, como ele, o ser exigente. O fazer-se o que tem de ser feito, rumo à Meta, não vale a pena lutar em grupo.

A luta anti-tauromaquia em Portugal será ganha, quando todos que lutam em grupo, forem Determinados, Ousados, Arriscarem e forem Exigentes, na luta pela Abolição da Tauromaquia!

Mário Amorim

UM ENORME EXEMPLO DO QUE É LUTAR…

Activist Pete Bethune stabbed in Brazil | RNZ News

Tenho muita admiração pelo Capitão Peter Bethune.
E não é de hoje que o admiro.
Ele quer mudanças e corre a traz delas.
Ele faz o que tiver de fazer, em prol das mudanças que ele quer que se tornem realidade.
Não espera que elas aconteçam.
Age, para que elas aconteçam.
Fosse a luta contra a tauromaquia em Portugal, como ele, e já não existiria há muitos anos.
É de pessoas como o Capitão Peter Betune que a luta contra a tauromaquia em Portugal precisa. É de pessoas que sigam as pisadas dele, os métodos dele, que a luta contra a tauromaquia em Portugal precisa!

Mário Amorim