Momento decisivo Canadá sofre pressão para proibir caça às focas

Corpo de foca morta, com caçadores inuit ao fundo, Lew Philip e Joshua Kango, em Frobisher Bay, Nunavut (2003). Foto: Kevin Frayer/The Canadian Press

Corpo de foca morta, com caçadores inuit ao fundo, Lew Philip e Joshua Kango, em Frobisher Bay, Nunavut (2003).

Uma organização que atua em defesa dos direitos animais está apelando para que o governo do Canadá finalmente abandone os seus esforços para salvar a caça comercial de focas, após a maioria esmagadora do Parlamento europeu ter votado pelo fortalecimento da proibição da comercialização dos produtos derivados de focas. As informações são do Global News.

Rebecca Aldworth, da Humane Society International do Canadá, disse que a votação ocorrida na semana passada em Bruxelas, na Bélgica, é a prova que restava de que esta indústria chegou ao fim.

“O momento é decisivo para que seja decretado o fim da caça às focas no Canadá e está muito claro que a União Europeia não irá mais prover incentivo financeiro para a continuação desta crueldade”, disse Aldworth, de Montreal.

“É tempo do governo do Canadá parar de injetar dinheiro em empreendimentos fúteis e, ao invés disso, focar-se em criar um futuro melhor para os que sobrevivem da caça às focas e suas comunidades”.

Há muito tempo a Humane Society vem cobrando um programa federal para a indústria de produtos derivados de focas.

Quando foi procurado para comentar o assunto, o Departamento de Pesca defendeu que a caça é “humana e sustentável”, e lançou um desafio à World Trade Organization (WTO) para que retrocedesse na sua decisão de proibição.

O Parlamento europeu teve 631 votos a favor da proibição e 31 contra, com 33 abstenções, e atendeu às demandas da WTO. A proibição, que ainda necessita de aprovação das nações da União Europeia, deverá enfrentar resistência por parte de defensores dos povos indígenas (“inuits”) que alegam ter na caça às focas o seu meio de subsistência.

Fonte: ANDA

Anúncios