BRUXELAS REJEITA PRONUNCIAR-SE SOBRE O “TORO DE LA VEGA” PORQUE É UMA “TRADIÇÃO CULTURAL”?

O quê???????

“Tradição cultural”, uma das mais cruéis selvajarias tauromáquicas existentes em Espanha?

Mas estão todos doidos!

O “Toro de la Vega” é a maior AGRESSÃO PSICOLÓGICA a toda a Humanidade Racional e Sensível, além do assassinato monstruoso de um ser vivo, completamente indefeso.

É esta COBARDIA de CRUÉIS MONSTROS ACÉFALOS que os deputados de Bruxelas entendem como “tradição cultural”?

Então, deputados de Bruxelas, sois tão cobardes e cruéis como os MONSTROS DE TORDESILHAS.

Fonte:

http://www.europapress.es/epsocial/naturaleza-00323/noticia-bruselas-rechaza-pronunciarse-toro-vega-porque-tradicion-cultural-20140916125221.html

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/bruxelas-rejeita-pronunciar-se-sobre-o-468959

Anúncios

ESPEREMOS QUE EM BRUXELAS O PARLAMENTO LEVE EM CONTA O QUE EM PORTUGAL OS DEPUTADOS PORTUGUESES DESPREZAM

Foram entregues no Parlamento Europeu as assinaturas de 70.000 pessoas que pugnam pelos Direitos dos Animais Não Humanos, apoiando a campanha “Rompe una Lanza» pelo fim do “Toro de la Vega”, uma das mais cruéis e inconcebíveis modalidades tauromáquicas de Espanha

«O Partido Animalista PACMA apresentou ontem no Parlamento Europeu a sua campanha contra o “Toro de la Vega”, juntamente com o eurodeputado Stefan Eck, do Partido do Meio Ambiente e Bem-Estar Animal alemão, e a eurodeputada holandesa Anja Hazekamp, do Partido Pelos Animais, os quais mostraram a sua total rejeição por esta celebração macabra.

No passado mês de Junho, a Comissão das Petições do Parlamento Europeu aceitou formalmente uma denúncia do PACMA, que foi enviada à Comissão Europeia para uma investigação preliminar.

Queremos agradecer a cada uma das 70.000 pessoas que assinaram a petição de apoio à campanha “Rompe una Lanza”.

Ontem entregámos as assinaturas à Presidente da Comissão das Petições do Parlamento Europeu, Cecilia Wikström, que tomou nota da grande rejeição social que o “Toro de la Vega” gera, e à qual pedimos que ponha fim a este costume bárbaro.

O PACMA está consciente de que a grande maioria da sociedade espanhola rejeita o maltrato animal implícito nesta polémica prática, que não nos representa como cidadãos europeus nem faz parte das nossas tradições, motivos suficientes para que o Parlamento Europeu ponha fim a esta barbaridade.

O Partido Animalista recorda que o Tratado de Lisboa, no seu artigo 13, reconhece os animais como seres sencientes, e exige aos Estados membros da União Europeia que implementem políticas que favoreçam o bem-estar animal

Fonte:

http://www.pacma.es/n/17472

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/esperemos-que-em-bruxelas-o-parlamento-466642