CRUELDADE Briga entre tigre e leão em circo evidencia problemas da exploração de animais para entretenimento

Enquanto o treinador e chefe do circo afirma que o incidente ‘não foi nada mais preocupante do que uma briga entre dois homens’, é importante observar que ele é um exemplo dos perigos de se manter animais em cativeiro, sob torturas severas e impedidos de agir naturalmente

Durante uma performance em um circo russo, um tigre atacou um filhote de leão e o agarrou pela garganta, deixando a multidão que os assistia assustada e aflita. O incidente aconteceu na capital do país, Moscou, durante o show dos irmãos Zapashny – famoso pela exploração de animais.

Em um vídeo capturado no momento, é possível ver um dos artistas liderando um jovem leão através do ringue, quando de repente um tigre, até então sentado no lado pula sobre o animal inocente. Conhecido como Dieter, o grande felino se lança em cima do jovem David, e o joga no chão violentamente, mordendo o pescoço. Um dos mestres do ringue começa a atirar objetos contra ambos.

David consegue se esquivar de Dieter por alguns segundos e tenta fugir, mas o tigre continua em busca do jovem leão. Dieter então lança outro ataque ao leão com os dois rolando no chão enquanto eles lutam, e outros tigres e leões no ringue fogem da briga.

Ambos os artistas de circo continuam atirando objetos nos grandes felinos de luta, sem sucesso, até que o treinador de animais Askold Zapashny, de 40 anos, atira uma bala de borracha no ar e os dois se separam. Segundo relatos, Dieter, o tigre, é conhecido por começar brigas e decidiu mostrar “sua autoridade” ao jovem leão David.

Enquanto o treinador de animais e chefe do circo Edgard Zapashny, de 42 anos, afirma que o incidente não foi nada mais preocupante do que uma briga entre dois homens, é importante observar que ele é um exemplo dos perigos de se manter animais em cativeiro, sob torturas severas e impedidos de agir naturalmente.

Tigres e leões são animais selvagens, com impulsos muitas vezes agressivos, e que devem viver em liberdade. O enclausuramento e os treinamentos pesados – envolvendo abusos e maus-tratos -, em conjunto com a exposição a um público e a repetição de atividades que não fazem sentido para o animal, acabam fazendo com que ele reaja de maneiras perigosas tanto para ele, os outros animais presentes e até mesmo seus treinadores e espectadores.

Fonte: ANDA

Nota: O artigo da ANDA contem um vídeo que não é possível apresentar!

Anúncios