Fico muito feliz com esta notícia! CONTEÚDO ANDA Bisões caminham em liberdade pela primeira vez em mais de um século – Também cá, o lugar do touro e do cavalo, é o campo, a natureza. Livres, em paz e sossego, desde o seu nascimento, à sua morte, em inteira liberdade!

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/bis.jpg

O primeiro bisão selvagem a percorrer o Banff National Park, no Canadá, em mais de um século foi transportado para um vale remoto em um histórico regresso à natureza que possui o objetivo de restabelecer um rebanho próspero da espécie, disse o Parks Canada.

Enquanto muitos se lembram que o Parks Canada manteve um “rebanho de exibição” de bisões alojado perto do município de Banff até 1997, esse novo rebanho representa um retorno aos animais selvagens, livres para vagar por seus arredores.

Os 16 bisões – principalmente fêmeas grávidas de dois anos – foram carregados em contentores de transporte dentro de caminhões no Elk Island National Park, a cerca de 35 quilômetros ao leste de Edmonton, e transportados para o parque recentemente.

Os contêineres foram transportados em helicóptero pelas encostas até um pasto fechado no Panther Valley, perto de Sundre, nas encostas orientais do parque. Os animais foram colocados no pasto, onde permanecerão por 16 meses e serão monitorados pelo Parks Canada por meio de colares de rádio.

Eventualmente, no verão de 2018, eles serão liberados em uma área de 1.200 quilômetros quadrados na encosta leste do parque, onde poderão interagir com outras espécies nativas, procurar alimentos e se integrar ao ecossistema.

Harvey Locke, ativista, escritor e administrador da Eleanor Luxton Historical Foundation em Banff, considerou o dia um momento histórico.

https://i1.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/bi2.jpg

“Este é um grande dia para o Banff National Park, para o Canadá e, francamente, é um dos grandes dias para a conservação da vida selvagem na história da América do Norte”, disse.

Ativistas locais envolvidos no deslocamento disseram que estavam aliviados ao ver que o processo de movimento foi tão tranquilo após anos de pesquisa, preparações e consultas com vários grupos. O objetivo em longo prazo é restabelecer uma nova população selvagem de bisões no Banff National Park e ajudar na conservação do animal nacional e internacionalmente.

Enquanto grupos de ativistas têm aplaudido a ideia, os fazendeiros nas encostas orientais criticaram o plano. Eles temem que os bisões escapem, causem danos às propriedades ou propaguem doenças para vacas.

Os defensores da realocação dizem que a diligência apropriada foi feita no projeto piloto de cinco anos, que inclui monitoramento constante.

https://i1.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/bi3.jpg

Locke afirmou que é natural que os bisões vaguem pelo parque novamente.

“Restaurar os bisões selvagens é a correção do mal que foi causado no século 19, quando a espécie foi quase eliminada. O Banff Park estava envolvido em salvar a espécie de extinção há 100 anos e hoje está envolvido na restauração desta espécie como parte da paisagem, como um animal selvagem, o que é realmente emocionante “, declarou.

Segundo a CBC, Locke não acredita que os bisões terão qualquer dificuldade de adaptação. “Não acho que os desafios para este rebanho são muito grandes porque sabemos a partir do registro arqueológico que bisões estavam neste parque há mais de 10 mil anos Acho que correrá tudo muito bem, porque é uma espécie nativa em seu habitat nativo”, completou.

Heuer ressaltou que o movimento é apenas o começo: “À medida que avançamos, uma coisa que realmente vamos prestar muita atenção é chamar os canadenses para participar da história”.

As ideias incluem a educação e a conscientização públicas contínuas, com uma possibilidade para abrir oportunidades voluntárias para que as pessoas aprendam mais sobre os bisões, concluiu, segundo a CBC.

Fonte: ANDA

Anúncios