CONTEÚDO ANDA Bebê rinoceronte se recusa a abandonar corpo da mãe morta por caçadores

Uma foto extremamente comovente de um bebê rinoceronte órfão e de pé ao lado do corpo de sua mãe, que foi morta por caçadores em busca de seu chifre tornou-se o símbolo trágico de vários assassinatos de rinocerontes em apenas uma semana na África do Sul

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/07/bb.jpg

A imagem foi divulgada online por ativistas que combatem a caça na África do Sul, depois que nove rinocerontes morreram em uma fazenda privada. Outros seis rinocerontes foram mortos em apenas 24 horas em uma reserva e outros assassinatos confirmaram que 20 animais morreram em uma semana.

Embora o rinoceronte branco esteja na lista de espécies ameaçadas de extinção, e existam menos de 20 mil indivíduos da espécie na natureza, os caçadores ainda os assassinam por seus chifres. Na província sul-africana de KwaZulu-Natal,  139 rinocerontes foram assassinados neste ano.

Os cineastas sul-africanos Bonné de Bod e Susan Scott, que estão produzindo um filme famoso chamado “Stroop”, sobre a caça de rinocerontes”, postaram a foto angustiante.

“Trágico assassinato de nove rinocerontes em uma fazenda privada. Relatórios também informam outras caças de rinoceronte nas últimas 24 horas”, escreveram.

Bod disse à SA People que houve 20 mortes de rinoceronte confirmadas neste fim de semana e um número não confirmado de até 31.

“Isso é apenas aquelas que conhecemos, publicadas nas mídias sociais. Há muitas caças que nós, o público, não conhecemos. O que sabemos é chocante: seis [rinocerontes] na área Mbhuzane de iMfolozi levaram 11 tiros à meia-noite e nove rinocerontes mortos em uma fazenda em Northern Cape”, explicou.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/07/b2.jpg

A localização das fazendas privadas de rinocerontes na África do Sul é mantida em segredo para protegê-los dos caçadores, segundo a reportagem do Daily Mail.

O Limpopo Rhino Security Group NPO, um grupo de fazendeiros que protege os animais, disse que dois rinocerontes pretos – uma espécie criticamente ameaçada – também foram mortos. A mãe foi assassinada por seu chifre enquanto seu bebê de apenas quatro meses de vida foi morto ao seu lado.

O crime chocante referente aos seis animais mortos em 24 horas ocorreu na reserva de Hluhluwe-Imfolozi – KwaZulu-Natal, onde 11 tiros foram ouvidos.

Os guardas-florestais foram até o local e descobriram os corpos dos animais. Todos estavam deitados em poças com seus próprios sangues e tiveram os chifres arrancados, de acordo com a News 24. Este é o mais recente de uma série de ataques de rinocerontes e o número de mortes pode exceder 250 até o final do ano em KwaZulu-Natal.

Desde 2007, mais de seis mil animais foram mortos e seus chifres foram removidos na África do Sul. Cerca de mil são mortos a cada ano desde 2013. Cada vez mais, os caçadores têm procurado as reservas de KwaZulu-Natal, pois a segurança foi reforçada no Kruger National Park, em Pretória, que cruza Moçambique.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/07/ri.jpg

Entre as pessoas indignadas com os assassinatos, está o ex-jogador de críquete, Kevin Pietersen, que nasceu e cresceu no país.

Ele disse que a situação era similar a uma guerra da vida selvagem no país: “Trinta e um rinocerontes mortos neste último fim de semana. Apenas deixem isso piorar, somente menos de um por hora. Isto é uma guerra”.

Pietersen compartilhou uma foto de um caçador e uma garota segurando um rifle acima da cabeça comemorando a morte de uma girafa com a legenda: “Este é o meu problema com a caça. Eles dizem que traz muito dinheiro para a proteção. Esta pose não parece conservacionista para mim”.

O jogador, que é o quinto melhor artilheiro da Inglaterra e se mudou para Nottinghamshire no começo de sua carreira, começou a jogar na seleção nacional. Ele informou ainda que logo deve lançar um documentário sobre a caça em sua terra natal.

Fonte: ANDA

Anúncios