CONTEÚDO ANDA Japão aprova legislação que defende a liberação da caça às baleias

O Governo do Japão aprovou novas leis que podem resultar na liberação da caça de baleias pela primeira vez, desde a promulgação global em 1985.

Apesar do Japão defender a morte de baleias somente para pesquisas científicas, grande parte da carne desses animais é vendida no comércio local. Somente em 2016, a caça às baleias, segundo o governo motivada por pesquisas, matou 333 baleias minke, sendo que dessas, 200 estavam grávidas.

Baleias sendo caçadas por navios japoneses

Contudo, agora o Parlamento do país aprovou uma legislação que pode abrir caminho para liberação da prática cruel no país. A caça para consumo desses mamíferos marinhos pode acarretar diversos problemas para a conservação global das baleias.

Uma das medidas garantidas pela legislação aceita é o financiamento de “pesquisas de caça às baleias”, garantidas no orçamento nacional japonês.

O governo da Austrália já se posicionou contra a criação dessas novas medidas, que podem permitir que o Japão proteja suas frotas de caça contra ONGs de proteção as baleias, como a Sea Shepherd.

Todavia, grupos de defesa da causa animal tem surgido no Japão em oposição às novas leis. Uma coalização de grupos de bem-estar animal, como o Greenpeace Japão e o Centro de Direitos dos Animais, emitiu uma declaração criticando a legislação que permite a caça às baleias.

“O projeto de lei foi criado apenas para continuar pesquisando a caça às baleias, não importa o custo – seja para as baleias, para a reputação internacional do Japão ou para o contribuinte japonês”, afirmou no texto. “Os nossos impostos serão revestidos em programas desperdiçados todos os anos, prejudicando nosso relacionamento com outras nações de forma amigável ​​e acabando com a nossa reputação a nível internacional”, criticou.

Fonte: ANDA

Anúncios

Ele passou os últimos 15 anos a salvar baleias. Perdeu a vida enquanto resgatava uma

Um pescador canadiano, que dedicou vários anos da sua vida a salvar baleias, morreu esta segunda-feira, 10 de julho, momentos depois de ter salvo outro mamífero desta espécie.

Na segunda-feira, dia 10 de julho, Joe Howlett, um pescador canadiano de 59 anos, embarcou no seu barco para ajudar a resgatar uma baleia branca do Atlântico Norte que tinha ficado emaranhada numa corda de pesca.

O resgate foi repleto de urgência, assombrado pelos acontecimentos do mês passado, quando sete baleias do Atlântico Norte foram encontradas a flutuar sem vida no Golfo de São Lourenço, no Canadá. Com uma população global de cerca de 525 mamíferos, a série de mortes sugere que mais de 1% da população morreu nas últimas semanas.

A experiência de um homem que dedicou os últimos quinze anos da sua vida a salvar baleias, ao largo da costa do Canadá, não fazia prever que aquele seria o último resgate. Momentos depois de soltar o mamífero, a baleia atingiu Howlett. O impacto do movimento acabaria por retirar a vida ao pescador de lagostas da ilha de Campobello, em New Brunswick.

“Eles conseguiram soltar a baleia, mas depois alguma coisa estranha aconteceu e a baleia fez um movimento brusco que atingiu Howlett”, conta Mackie Green da Campobello Whale Rescue Team, que não estava a bordo da embarcação, à Canadian Press.

“Definitivamente que o Joe não iria querer que nós parássemos por causa disto”, disse Green que em 2002 já tinha juntado forças a Howlett para salvar uma outra baleia. “Isto era algo que ele amava”, acrescentou.

Numa declaração escrita, o ministro da Pesca, Dominic LeBlanc, ofereceu suas simpatias à família e aos amigos do Sr. Howlett: “Perdemos um membro insubstituível da comunidade de resgate de baleias. A falta da sua experiência e dedicação será sentida”.

Fonte: 24.sapo.pt

Os golfinhos são “pessoas não humanas”

Não só os primatas. Os golfinhos e as baleias também devem ser tratados como “pessoas não humanas”, com direito à vida e à liberdade, segundo propõem prestigiados cientistas reunidos na conferência anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, a maior do mundo, que se realiza em Vancouver, no Canadá.

Peritos em conservação e comportamento dos animais consideram que estes cetáceos são suficientemente inteligentes para que recebam as mesmas considerações éticas que os seres humanos, de acordo com o jornal espanhol ABC. Isto implica colocar um fim à sua casa, ao cativeiro e abusos.

Por este motivo, apoiam a criação de uma Declaração dos Direitos dos Cetáceos.

“A ciência tem demonstrado que a individualidade – a consciência de si próprio – não é uma característica única do ser humano. Isto levanta uma série de desafios”, disse, à BBC, Tom White, professor de ética na Universidade Loyola Marymount, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Os investigadores que estão de acordo com esta corrente de pensamento concluem que, embora não sejam seres humanos, os delfins e as baleias são “pessoas” no sentido filosófico, o que tem importantes implicações.

A declaração, primeiro aprovada em Maio de 2010, assinala que os cetáceos têm direito à vida, não podem ser obrigados a estar em cativeiro nem a ser objecto de maus tratos, nem a serem retirados do seu ambiente natural.

Da mesma forma, não podem ser propriedade de ninguém. A base de todos é que os golfinhos têm consciência de si mesmos, reconhecem a sua imagem ao espelho. Sabem quem são.

Fonte: Os Bichos

***

Um grande número de cientistas, em 2010, estiveram reunidos no Canada, durante um fim de semana. E no fim da reunião, declararam que os primatas, os golfinhos e as baleias, são pessoas não humanas.
Esses mesmos cientistas, a partir de então estão a trabalhar, junto da UNESCO, para que a UNESCO passe a declarar todos os animais não-humanos, como pessoas não humanas.

Mário Amorim

Save Whales From Dying In Nets

Sponsored by: Oceana
Endangered whales need your voice before it’s too late.

Every year drift gillnets targeting swordfish off the California coast kill roughly 100 protected marine mammals, including endangered whales, threatening their very existence.

Add your name to join Oceana in demanding immediate protections for whales and get these nets out of the water before it’s too late.

Sign Here/Assinar Aqui: http://theanimalrescuesite.greatergood.com/clickToGive/ars/petition/Oceana-SaveWhales?utm_source=ars-ta-animals&utm_medium=email&utm_term=09072015&utm_content-takeaction-f&utm_campaign-oceana-savewhales&origin=ETA_090715_Oceana-SaveWhales_f&oidp=0x2efa7359f2cd40fac0a82937

Vídeo simplesmente mágico e encantador: Humpback Whale songs

Este vídeo enche todos os corações que lutam pelos direitos dos animais não-humanos de emoção:

Tenho um carinho muito, muito especial pelas minhas irmãs baleias. E este mágico vídeo, aumentou muito, muito mais o já imenso carinho que tenho por elas. Simplesmente Maravilhoso e profundamente tocante.

Mário Amorim