As misteriosas baleias de Omura

Uma equipa de investigadores, liderada pelo biólogo marinho Salvatore Cerchio, do New England Aquarium e do Woods Hole Oceanographic Institution, descobriu em 2015 um grupo de baleias-de-omura ao largo da ilha de Madagáscar. Pela primeira vez, os cientistas puderam ter uma ideia dos hábitos e rotinas destes mamíferos, que durante tanto tempo permaneceram desconhecidos.

A baleia-de-Omura só foi descoberta em 2003, pelos cientistas japoneses Shiro Wada, Masayuki Oishi e Tadasu K. Yamada. A nova espécie pôde apenas ser identificada a partir de restos mortais, uma vez que nunca tinham sido avistados espécimes vivos. O estudo publicado na revista da Royal Society Open Science relata que esses primeiros exemplares vivos da baleia de Omura foram identificados em 2011, quando os biólogos avistaram duas baleias adultas e uma cria. No ano seguinte, voltaram a ver mais quatro baleias e perceberam que elas possuíam características um pouco diferentes.

Em 2014, o número de avistamentos chegou a 44 e então os cientistas constataram, através de ADN, que haviam encontrado a primeira população viva da baleia de Omura. “Alguns colegas pensaram que se tratava de uma espécie nova e começaram a pensar em nomes. São animais espectaculares, com corpos longos e estreitos”, afirmou o biólogo Salvatore Cerchio, que coordenou o estudo.

Fonte: Green Savers