Estados Unidos Centenas de babuínos serão removidos de centro de pesquisa de Oklahoma

Foto: Divulgação

Cerca de 676 babuínos serão removidos de um centro de pesquisa da Universidade de Oklahoma, nos Estados Unidos, dentro de três a quatro anos.

Em um comunicado, o vice-presidente do Centro de Ciências da Saúde de Oklahoma (Oklahoma Health Sciences Center – OUHSC), James J. Tomasek, afirmou que a universidade está trabalhando com os Institutos Nacionais de Saúde (National Institutes of Health) para desenvolver um plano para a realocação dos babuínos. Após um comunicado da Aliança de Santuários para Primatas da América do Norte (North American Primate Sanctuary Alliance), o OUHSC está explorando a possibilidade de colocar os babuínos em santuários.

Ativistas dos direitos animais têm se preocupado com a possibilidade de que os babuínos sejam induzidos a morte com a remoção.

“O programa de babuínos do Centro de Ciências da Saúde (Health Sciences Center) não irá induzir a morte de nenhum babuíno com intuito de reduzir o tamanho da colônia,” afirmou Tomasek.

Em setembro, o presidente do centro de pesquisa David L. Boren anunciou que a instalação seria fechada. De acordo com Tomaske, a decisão foi baseada na diminuição da priorização do programa no âmbito do plano estratégico de investigação do OUHSC e os custos financeiros e pessoais previstos com a continuação do programa.

O anúncio seguiu uma avaliação interna da instalação, ordenada por Boren um mês antes. Registros de inspeção mantidos pelo Serviço de Inspecção Zoossanitária e Fitossanitária do Departmento de Agricultura dos Estados Unidos indicam que a instalação violou inúmeras vezes a Lei Federal de Bem-Estar Animal nos últimos anos.

O relatório de inspeção, publicado em 25 de janeiro no site do departamento, afirma que os funcionários do centro de pesquisa usaram pulverizadores em babuínos de 3 meses de idade. Um deles ficou “tremendo e claramente afligido”. Todos foram expostos ao risco de hipotermia. Os inspetores também encontraram “um acúmulo excessivo de sujeira, detritos e dejetos nas grades” de recintos onde 12 babuínos eram mantidos.

Stop Animal Exploitation Now, um grupo ativista que monitora os laboratórios de pesquisa dos Estados Unidos, apresentaram uma queixa ao Departamento.

O ativista e assessor do Santuário para Primatas Mindy’s Memory Robert Ingersoll expressou preocupações com a realocação dos babuínos. De acordo com Ingersoll, a NAPSA tem apenas oito santuários, o que não seria suficiente para abrigar os mais de 650 babuínos.

Segundo Ingersoll, os santuários dependeriam do apoio financeiro da universidade para cuidar das centenas de babuínos. A estimativa é que abrigar cerca de 700 babuínos custaria de US$ 20 milhões a $ 40 milhões de doláres a longo prazo, além de um adicional de US$ 20 milhões a $ 40 milhões para cuidados ao longo da vida.

Ingersoll chegou a esses números com base em orçamento anual do Mindy’s Memory. O santuário gasta cerca de US$ 200.000 por ano – o que inclui custos com funcionários, comida e utilitários – e abriga 83 primatas de várias espécies.

“Estou preocupado porque esse número é muito alto. Eles podem não encontrar lares para todos”, afirmou Ingersoll ao The Norman Transcript.

Para ele, a universidade deveria arcar com pelo menos uma parte do custo.

Fonte: ANDA

Anúncios

Anna Breytenbach, mulher Maravilhosa, e com um coração enorme!

La comunicadora animal’ con Anna Breytenbach Parte 1 de 4

Vi este vídeo há poucos minutos. Fiquei encantado. Fiquei a pensar. Fiquei a reflectir, pois é isso que este Maravilhoso vídeo nos faz. Faz-nos pensar e reflectir!

**

Comunicación entre Especies y cómo Diablo se convirtió en Espíritu

A Anna Breytenbach é uma mulher incrível, e isso é visível nestes e em muitos outros vídeos!

Site da Anna Breytenbach:

http://www.animalspirit.org/