Vitória Após pressão de activistas, França anuncia o fechamento total de fazendas de pele de visons até 2025

Medida foi adoptada menos de um mês após serem gravadas imagens de fazendas de pele de vison, onde documentavam maus-tratos, tortura e descaso.

No último semana, a França adotou um grande passo para ser um país mais livre de crueldades e anunciou o fim da criação de visons em fazendas, para extração de suas peles.

A ministra Barbara Pompilli informou que as quatro fazendas de peles restante no país tem o prazo máximo para fechamento até 2025. O anúncio de Pomplili também incluiu a proibição do uso de orcas e outros golfinhos em parques marinhos e de todos os animais selvagens em circos.

A decisão veio menos de um mês após o grupo de activistas da One Voice publicou imagens e vídeos sigilosos das últimas fazendas de pele de vison na França. Como em exposições anteriores sobre a criação de visons, as imagens documentavam gaiolas apertadas, condições de sujeira e animais feridos e infectados.

Segundo o grupo de defesa dos animais Humane Society International – HSI, cerca de 77 por cento dos cidadãos franceses são a favor de uma proibição total da criação de peles. Além disso, mais de quinhentas mil pessoas na França assinaram o Referendum For the Animals (Referendo para os Animais, tradução livre), que exige melhor proteção legislativa para os animais, incluindo a proibição do cultivo de peles.

A diretora do HSI da Inglaterra, Claire Bass, parabenizou o governo francês por se posicionar de maneira ativa, contra o sofrimento vivido pelos visons para alimentar a indústria de peles “este anúncio é um grande primeiro passo para a França” e salienta, “porém, permite que o sofrimento desnecessário do vison continue por mais cinco anos”.

Com a Covid-19 ascendeu-se um alerta em relação as fazendas de extração de peles de toda a Europa. De acordo com dados do HSI, 56 fazendas de pele de vison na Holanda relataram infecções, assim como fazendas na Espanha e Dinamarca tiveram vários surtos.

Por esse motivo, a indústria como um todo já matou preventivamente mais de dois milhões de visons para evitar novas infecções o que aumentou também as restrições à produção de peles.

Atualmente há cerca de treze países, somente na Europa que já proibiram fazendas de vison para extração de suas peles. No início deste ano, o governo da Holanda anunciou planos para acabar com a indústria no país até 2021. O processo foi iniciado em 2013, mas ainda não possuía um prazo definido, entretanto devido aos surtos de Covid-19 em fazendas em toda Holanda, o processo foi acelerado.

Além da Holanda, que está adoptando o processo para acabar tais fazendas, temos a Áustria, República Tcheca, Noruega, Bélgica, Irlanda e outros que já aboliram a indústria de peles.

A Inglaterra, embora tenha banido as fazendas em 2003, ainda permite a importação e venda desses produtos, provenientes de países como a França. Por esse motivo que a proibição total da importação e venda de peles, é necessário, porque além de sua produção, reduziria significativamente a demanda, e favoreceria o desmantelamento de uma indústria cruel.

Fonte: ANDA