NÃO EXISTE UM ORGANISMO DE PROTECÇÃO DE MENORES EXPOSTOS À SELVAJARIA TAUROMÁQUICA NOS AÇORES?

A mal dita “arte” sem capote (e também sem tino) é uma prática tosca que, em má hora, regressa à Ilha Graciosa (Açores).

Com uma “novidade” repugnante: elementos de pequena estatura (ou seja ANÕES) segundo a organização desta aberração, “prometem dar “espectáculo” a todos aqueles que se deslocarem ao Monte de Nossa Senhora d’Ajuda”.

Nem a Nossa Senhora d’Ajuda consegue fazer o milagre de dar um pouco de bom senso aos governantes locais que apoiam o regresso de uma prática aberrante e extremamente degradante, sob todos os pontos de vista.

ILHA GRACIOSA.jpg

Mas existe ainda outro detalhe que deixo à consideração das AUTORIDADES (sem autoridade?): as crianças até aos 6 anos têm acesso livre, dos 7 anos aos 12 anos o valor a aplicar é de 5 €…

E assim se expõe menores de idade a uma estupidez ilimitada, não só pela EXPLORAÇÃO DE ANÕES (acto degradante e aviltante para esses seres humanos, tal como o era na Idade Média), como pela TORTURA DE BOVINOS.

Não existe AUTORIDADE na Ilha Graciosa que possa travar tamanha demonstração de IRRACIONALIDADE?

O ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES É A VERGONHA DAS ILHAS ATLÂNTICAS

Fonte:

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/nao-existe-um-organismo-de-proteccao-de-557942

Anúncios