Associação contesta tourada em Amarante, que “não tem cultura tauromáquica” – Cultura tauromáquica? -Se fosse a barbaridade tauromáquica, aí estaria correto!

A Associação Ajuda Animais em Amarante reprova que as entidades públicas apoiem a corrida de touros do próximo domingo.

A Associação Ajuda Animais em Amarante (AAAAMT) manifestou hoje “total reprovação” ao apoio de “várias entidades públicas” a uma corrida de touros anunciada para domingo, garantindo que o concelho “não tem cultura tauromáquica”.

“O Estado e o dinheiro público não devem financiar a exposição do sofrimento desnecessário infligido aos animais, e nenhum motivo é válido para manter a tortura prolongada, sangrenta e cruel dos mesmos”, sustenta aquela associação, em comunicado.

Em causa está a corrida de touros marcada para domingo às 17.00, na cidade de Amarante. O cartel é composto pelos cavaleiros Joaquim Bastinhas, Sónia Matias e António Maria Brito Paes e pelos forcados amadores de Coruche e Aposento da Chamusca. A AAAAMT adianta que “os apoios públicos e privados” concedidos aquela tourada “colidem com o trabalho solidário de parceria, e de ajuda animal que se pretende continuar a realizar em Amarante”.

“Os apoios públicos e privados que nos têm garantido e disponibilizado têm, infelizmente, sido escassos comparativamente ao trabalho árduo que os voluntários têm vindo a realizar neste último ano”, frisou. A AAAAMT afirma “respeitar todas as opiniões”, mas adianta que “acima de tudo respeita a vida e a boa conduta com os animais”.

“Só assim nos tornamos num concelho mais civilizado e mais evoluído, destacando-se apenas pelas boas práticas sociais. A incivilidade jamais pode justificar arte, cultura ou tradição”, sublinhou aquela associação.

 

Fonte: DN.PT

Anúncios

“GRANDIOSA” CORRIDA DE TOUROS EM AMARANTE COLOCARÁ A CIDADE ABAIXO DE LIXO

Que vergonha Amarantinos! Não permitam que conspurquem a vossa bela cidade de Amarante com algo tão macabro e sangrento, indigno de seres humanos, como é a tortura de bovinos.

Como é possível a Junta de Freguesia de Frejim, presidida por uma “senhora”, consentir que se realize uma tourada, dentro dos seus domínios?

Num tempo em que existem mil e um divertimentos civilizados, Amarante irá sujar o seu nome com algo que não dignifica o ser humano e é um divertimento inculto, de carniceiros para carniceiros.

Exma. Senhora Presidente da Junta de Freguesia de Fregim, Senhora Dona Sandra Fraga:

 Não sei como uma “senhora” permite tal barbaridade dentro dos seus domínios…!

Sim, existe uma lei (uma lei bacoca, bastarda, ilegal e irracional, que exclui Touros e Cavalos do Reino Animal) que permite que se torture animais para divertir sádicos, violando todas as normas da Declaração Universal dos Direitos dos Animais, que Portugal aceitou, mas apenas no papel, pois é um país que pratica a carnificina mais abominável contra os animais não humanos que, enfim, são portugueses também.

Mas isso não significa que tenha de a seguir. Pode e deve embargar todas as iniciativas de tortura, dentro da sua área de acção.

Pode e deve.

É que andam por aí, pelo norte do País, uns incultos  a aliciar os autarcas mais aliciáveis (porque os há com personalidade forte, que se recusam a colaborar com tal indigência), e pelo que vemos, a senhora de Fragim, deixou-se levar na conversa, ou então é aficionada deste costume bárbaro.

E só lhe fica mal.

Senhora Presidente, farei minhas as palavras de uma cidadã espanhola, Pepi Vegas (uma activista da causa da Abolição das Touradas em Espanha) e direi que «uma sociedade civilizada é aquela que avança atendendo à consciência ética dos cidadãos».

E todos nós sabemos que a maioria dos Amarantinos rejeita a tourada em Portugal.

Enquanto no mundo inteiro, uma esmagadora maioria de cidadãos está a manifestar-se contra este acto selvagem, que em Portugal é permitido pela tal lei irracional, em Amarante regressa-se a um passado onde imperava a ignorância, a incultura e a incivilização.

«O comportamento atroz praticado sobre um bovino, por diversão, não pode ser justificado, nem como tradição (que não o é) nem como interesse turístico», pois os turistas cultos não assistem a eventos incultos. É a ralé da sociedade, felizmente uma minoria, que ainda vai aplaudir uma tal uma tal selvajaria.

Como cidadã que repudia a tortura (seja de que ser vivo for, humano ou não humano) e a crueldade cobarde que caracteriza as touradas, é meu dever cívico manifestar a V. Excelência esse meu repúdio e sugerir-lhe que proporcione ao povo amarantino, uma alternativa de diversão mais condizente com os Valores Humanos e com a Ética que predominam nas sociedades modernas contemporâneas.

Estaremos de olhos postos em Amarante, esperando que a Senhora Presidente tenha em conta estas linhas, que dizem do sentimento da esmagadora maioria dos Portugueses e cidadãos do mundo civilizado, a qual rejeita veementemente esta prática selvagem.

 

Isabel A. Ferreira

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/grandiosa-corrida-de-touros-em-amarante-448899

****

Brilhante o seu texto, Isabel. Concordo totalmente consigo!

Mário Amorim

Petição contra a Grandiosa Corrida de Toiros em Amarante

Exma. Senhora Presidente da Junta de Freguesia de Fregim

Embora reconhecendo que as touradas são permitias e reguladas por lei, tal facto não nos impede de contestar que a Grande Corrida de Toiros em Amarante se realize, requerendo que o evento seja cancelado e estas práticas abolidas.

A lei que regula a prática de espectáculos tauromáquicos viola deveres elementares no que respeita ao nosso relacionamento com os animais.
Os touros, tal como outros animais devem de ser protegidos. Se temos leis, ainda que fracas que protegem outros animais, é incompreensível que essas mesmas leis, excluam, no caso concreto, os touros.
Não podemos nem devemos permitir que eles sejam torturados em nome de uma suposta tradição. Os argumentos utilizados pelos defensores dessa tradição não justificam os fins e sem entrar em paralelismos com outras tradições somente diremos que essas outras tradições acabaram há muitos anos porque ética e moralmente eram inaceitáveis.

Em pleno séc. XXI as touradas são tradições que não são aceitáveis em termos de evolução de um povo.
Não existe um único argumento que permita validar que a tortura em nome do entretenimento seja aceitável em termos éticos ou morais.

Acreditamos que a maioria da população de Amarante é absolutamente contra este espetáculo selvagem e criminoso.

Pelo exposto, vimos requerer a V.Exa, não permita que estas práticas e, em particular, este evento, aconteçam na sua Freguesia e Cidade, pois ao contrário de as dignificarem, as denigrem aos olhos dos cidadãos amarantinos e portugueses, mas também aos olhos dos estrangeiros que especialmente nesta época do ano nos visitam e que se sentem horrorizados com semelhante espectáculo.

Fonte: http://www.peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT74353