AMOR INCONDICIONAL Policial adota pit bull que não quis abandonar corpo de morador de rua

A cadela permaneceu horas ao lado de seu tutor morto e comoveu o oficial designado para a ocorrência


Policial Kyle Lyon com Alley em foto postada no facebook da Care STI – Centro de Resgate e Enriquecimento Animal de St Louis

Esse é mais um caso emocionante que demonstra a lealdade e o amor que os animais têm por seus tutores sob quaisquer circunstâncias de vida. Várias notícias relatam cães que seguem ambulâncias que transportam seus tutores mortos ou feridos, e também casos em que os animais permanecem sobre túmulos ou na frente da casa de tutores que já se mudaram ou morreram.

Recentemente uma pit bull também se recusou a abandonar o corpo de seu tutor que foi encontrado morto por policiais na cidade de St Louis, no estado de Missouri (EUA). O policial Kyle Lyon e seu parceiro encontraram um sem-teto já sem vida num beco, depois de serem acionados pelos moradores locais. Uma pit bull estava sobre o corpo dele e, embora tenha permitido a aproximação dos policiais, não quis se afastar de seu tutor.

O policial Lyon contou que foi preciso muita paciência para fazer a cadela confiar nele e permitir a remoção do corpo. A vizinhança relatou que a cadela e o sem-tecto já viviam juntos há algum tempo e a relação era claramente de afecto entre ambos.

Quando o controle dos animais da prefeitura capturou a cadela, Lyon pediu que a colocassem como adotapda e ela foi então levada ao Centro de Salvamento e Enriquecimento de Animais de St. Louis onde ficou aguardando pelo retorno do policial. Lyon revelou aos voluntários da entidade que ficou muito “apaixonado” pela cadela e que gostaria de ficar com ela enquanto eram procurados os parentes mais próximos do sem-tecto.

Quando a cadela, batizada de Alley, já estava convivendo com o policial e seus outros dois cães, ainda filhotes, foram localizados alguns familiares do sem-tecto que viviam no Texas. Lyon conversou com eles e todos concordaram que Alley ficaria melhor em St Louis. Assim, hoje Alley tem um lar e dois irmãos com os quais, segundo, o policial, se dá muito bem.

Fonte: ANDA