ATRASO CIVILIZACIONAL DE UM LUGAR ALENTEJANO CHAMADO CUBA

GALGOS.jpg
(Origem da imagem: Internet)

Cuba, um lugarejo nos confins do Alentejo, com cerca de apenas 3.200 habitantes, em vez de EVOLUIR, retrocede de um modo desprezível.

A vergonhosa notícia de que foi inaugurado um recinto para tortura de Galgos, que são animais, pelos vistos, não reconhecidos como tais, naquela localidade, só diz do atraso civilizacional em que vive um povo, cujos governantes só têm para lhe oferecer o que há de mais repugnante no carácter dos que se dizem “homens”: o seu baixo nível moral, cultural e social.

Fiquei perplexa, ao ter conhecimento de mais este retrocesso em território português, depois de tudo o que sabemos que se tem passado em Espanha e noutros países…

Os Galgos são Cães bastante sensíveis.

E os Cães, tal como todos os outros animais que habitam o nosso Planeta, não existem para servir de divertimento a sádicos, que se comprazem com o sofrimento alheio.

Enquanto o mundo evolui, Portugal transforma-se no paraíso dos mentecaptos.

De acordo com uma fonte municipal, nas mãos da CDU, esta iniciativa tem em vista a captação de visitantes e quer afirmar Cuba como a capital dos Galgos de corrida.

Enganam-se aqueles que pretendem promover Cuba deste modo desactualizado e primitivo, explorando e torturando animais, com dinheiros públicos.

Saberão os responsáveis por esta iniciativa retrógrada que, ao contrário do que pensam, só afastarão visitantes?

Quem, no seu juízo perfeito, irá a Cuba assistir a tão degradante “coisa” (não podemos chamar “àquilo” espectáculo)?

Apenas os parvos.

Inaugurem pavilhões desportivos; escolas de música, de dança e de artes plásticas; salas de teatro…

Enfim, inaugurem algo civilizado que possa chamar a Cuba turistas cultos e oferecer aos jovens locais divertimentos que os façam evoluir.

Agora, inaugurarem uma pista municipal de Galgos é algo que só desprestigia a vila e a coloca no rol das terrinhas portuguesas condenadas ao abandono e ao desprezo da sociedade civilizada.

Abaixo Cuba!

Uma velhariazinha primitiva a boicotar.

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios

NISA SEM TOURADAS

NISA.jpg

Nisa não precisa de touradas para ser feliz. Nenhuma localidade precisa de touradas, seja para o que for. Poucos são os que podem estar contentes com esses actos de tortura de animais.

O que aconteceu no último fim-de-semana, demonstrou bem o que temos dito. E enquanto os “especialistas” tentam arranjar justificações para a falha, para a falta de concorrência do público, para a falta de condições… só se enterram mais e ainda mais.

Nisa não quer tauromaquia, mesmo que alguns ainda vão dizendo que sim.

A decrépita “praça de toiros” de Nisa já nem está conforme com o novo regulamento. Para ser restaurada e adaptada para o mesmo fim seriam necessários avultados investimentos e isso para manter uma actividade que em nada dignifica, que está em falência, que é dispensável, que é maldita por todos. A fazer-se tal obra, quem a pagará e porquê?

Esperemos que tenha sido a última ou uma das últimas vezes que tal barbaridade aconteceu na nossa terra. As touradas não fazem falta nem a Nisa nem ao Alentejo.

Os animais são inocentes, queremos Nisa sem Touradas

Imagem: farpas.blog — em Nisa Portugal.

Fonte

***

«A selvajaria tauromáquica (vulgo tourada) já foi abolida oficiosamente em 2013. De que estão á espera os governantes portugueses para a abolirem oficialmente?

É que esta actividade macabra já se decompôs, e só eles (os governantes) é que ainda não se aperceberam disso» (IAF)

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/nisa-sem-touradas-520755

***

O que aconteceu no fim de semana passado em Nisa, é um bom exemplo que confirma o que referi anteriormente aqui: https://blogcontraatauromaquia.wordpress.com/2015/03/17/quem-se-dirige-a-uma-praca-de-touros-para-presenciar-um-espectaculo-barbaro/