Cruel tradição espanhola Em ato de coragem, ativista entra em arena para confortar touro que agonizava. – Este artigo é muito comovente!

Em um ato de extraordinária coragem, uma ativista pelos direitos animais pulou para a arena de touradas Malagueta para confortar um touro que agonizava antes de morrer, em Málaga, Espanha, no dia 13 de agosto. Por alguns momentos, Virginia Ruiz, de 38 anos, deitou-se sobre o touro e tentou protegê-lo antes de funcionários da arena a arrastarem violentamente para longe. “Eu podia ouvi-lo chorando de dor, então pulei para dentro, atravessei a arena até chegar no local onde ele já estava morrendo”, relatou a ativista. “Ele olhou para mim e acredito que sentiu a minha energia. Eu queria dar-lhe amor, antes que ele deixasse este mundo”, completou.

(Foto Eduardo Nieto)

Enquanto Virginia era afastada do touro, a multidão de fãs de touradas vaiava e gritava “fuera!” (fora) em uníssono. “Eles me chamavam de vários nomes”, disse Ruiz, “me chutaram, cuspiram em mim, me disseram para voltar para a cozinha e me chamaram de prostituta.”

O touro foi morto a facadas.

Virginia Ruiz assistiu à tourada em um dia em que a entrada era gratuita – ela não comprou ingresso para ocupar um dos 9 mil lugares. Ela afirmou que sua intenção era apenas filmar a crueldade na arena, que nesse dia tinha apenas três quartos de suas arquibancadas ocupadas, apesar do acesso gratuito.

(Foto: Eduardo Nieto)

Impulsivamente, quando ouviu o touro chorar, ela pulou para dentro da arena e caminhou em direção a ele. “Porque eu estava caminhando, e não correndo, eles [o público] não perceberam que eu era uma ativista até que eu chegasse muito perto do touro”, disse Ruiz. “Ele ainda estava vivo antes que eles fizessem o esfaqueamento final com a faca na parte de trás do pescoço. Ele estava chorando, ele tentou olhar para as pessoas”, disse ela.

 Assista ao vídeo da ativista Virginia Ruiz caminhando pela arena:

 

Fonte: ANDA

***

Fiquei bastante comovido com o acto desta companheira de luta. Estou com os olhos cheios de lágrimas. 

“Eu podia ouvi-lo chorando de dor, então pulei para dentro, atravessei a arena até chegar no local onde ele já estava morrendo” -É isto que os defensores da tauromaquia, não querem saber. Não querem saber do sofrimento do touro. É que apesar da banda de musica, que existe apenas e só para, numa praça de touros, impedir que quem assiste, não possa escutar os seus gritos de dor e de sofrimento, eles, mesmo assim, conseguem ouvir os seus gritos de dor e de sofrimento. E vêm, toda a sua dor e todo o seu sofrimento, na sua locomoção e nas suas expressões. E depois nada fazem para irem em socorro de pobre touro. De forma gélida, de forma completamente insensível, permitem que o touro seja barbaramente torturado, física e psicologicamente, sem tomarem uma atitude, em socorro do touro, na arena. E com essa atitude, que agrava decisivamente a sua conivência com tão vil barbárie, mostram que são tão Monstros, tão Psicopatas, quanto os Psicopatas que na arena das praças de touros, brutalizam e matam o touro!

Anúncios