A palavra tradição assusta-me.

Caça à baleia nos Açores

A tauromaquia em Portugal

Todas as vezes que ouço ou leio a palavra Tradição, assusto-me. Este argumento arrepia-me.

Estamos em pleno Seculo 21. E em pleno Seculo 21, ainda existem diversas práticas, com a justificação de que são tradições. Vou deixar alguns exemplos:

Matança de baleias no Alasca.
Matança de baleias pelo Japão.
Matança de baleias e de golfinhos em Taiji, no Japão.
Matança de baleias e de golfinhos nas Ilhas Faroé, na Dinamarca.
Matança de cães e gatos para comida, em alguns países Asiáticos.
Tauromaquia em Portugal; Espanha; sul de França, e alguns países da América Latina.

Todas estas práticas e muitas outras, ainda existem, em pleno Seculo 21, sobre a justificação de que são tradições. E que como são tradições, têm de continuar.

A barbaridade, o assassinato de seres sensíveis, não tem justificação, muito menos a justificação de que por ser tradição tem de continuar.

No passado, há muitos séculos atrás, era tradição cortar cabeças; queimar pessoas vivas; chicotear pessoas em publico. Todas estas tradições morreram. Mas o homem não aprendeu com estas práticas do passado. O homem não aprendeu que não pode fazer a outros seres sensíveis, o que não gostava que fosse feito a si próprio.

Todas as práticas bárbaras para com outros seres sensíveis, que ainda existem, com o pretexto de que são tradições têm de acabar totalmente. E não poderá haver qualquer rasto delas.

No que diz respeito a Portugal. No passado, mataram-se baleias nos Açores. Era tradição matar-se baleias nos Açores. Mas esta tradição morreu.
No entanto, ainda se mantem em Portugal, uma prática brutal. Uma prática bárbara. Uma vil prática, chamada Tauromaquia. Mas a esta prática, vai acontecer o mesmo que aconteceu com a matança de baleias nos Açores, o fim. Vai desaparecer totalmente, em Portugal.

As verdadeiras tradições, são aquelas que não prejudicam o bem-estar, a vida de seres sensíveis, humanos e não-humanos. Essas sim, são nobres tradições, e a sua continuação, só enriquecem.

Todas as outras práticas, que sobre o pretexto que são tradições, prejudicam o bem-estar, a vida de seres sensíveis, humanos e não-humanos, a sua continuação não tem qualquer justificação. O caminho, para todas essas práticas, é o desaparecimento total!

Mário Amorim