Tão lindo. A mãe natureza é magnifica! China: Este é o primeiro panda fruto da união de mãe em cativeiro e pai selvagem

Um pequeno panda nasceu na passada segunda-feira, dia 31, na China, após a união de uma fêmea em cativeiro com um macho em liberdade — algo inédito, de acordo com a agência oficial de notícias Nova China.

O bebé panda, de cor rosa claro e pouco maior do que uma mão, nasceu na manhã de segunda-feira na província de Sichuan, na China.

É o primeiro panda nascido de um acasalamento entre uma mãe em cativeiro — Cao Cao, de 15 anos — e um pai que vive em liberdade.

De acordo com a agência Nova China, Zhang Zhizhong, do Centro de Conservação e de Investigação da China para o Panda Gigante, o nascimento desta cria resulta do esforço de uma equipa de investigadores, que esperam melhorar a saúde e a diversidade genética dos pandas em cativeiro, acasalando-os com os seus pares que vivem na natureza.

Com apenas 471 pandas em cativeiro em todo o mundo (números até final do ano passado) a espécie corre perigo de consanguinidade, explicou à agência.

Em cativeiro desde os seus dois anos de idade, Cao Cao foi posta em liberdade em março por um período de dois meses, com dispositivos de geolocalização, terá estado com o cio no dia 11 de março e acasalado com um macho selvagem, dias mais tarde, durante um minuto e 30 segundos.

O bebé panda nasceu com 216 gramas, ultrapassando o peso habitual de um recém nascido — 150 gramas —, graças ao bom apetite da mãe durante a gravidez.

Acredita-se que haja pelo menos 2.000 pandas gigantes em liberdade, em três províncias do centro-sul da China.

Em França, Huan Huan, uma panda emprestada pela China ao Jardim Zoológico de Beauval, está à espera de gémeos, segundo revela a última ultrassonografia feita antes do parto — previsto para a próxima sexta (ou sábado) — segundo anunciou a direção do Zoo. Este vai ser o primeiro nascimento de pandas gigantes no país.

Fonte: 24.sapo.pt

Moçambique: Caça furtiva matou este ano 295 rinocerontes no Parque do Limpopo

Caçadores furtivos mataram 295 rinocerontes este ano no Parque Transfronteiriço do Limpopo, partilhado entre Moçambique, África do Sul e Zimbabué, indicou hoje a Administração Nacional de Áreas de Conservação (ANAC) moçambicana.

Falando num seminário sobre a criação de uma unidade de combate ao crime contra a fauna, o director de Protecção e Fiscalização da ANAC, Carlos Pereira, afirmou que quatro dos rinocerontes mortos foram abatidos no lado moçambicano do parque.

Ao longo deste ano, 95 caçadores furtivos foram detidos no parque, sete dos quais moçambicanos, disse Carlos Pereira.

Fonte: 24.sapo.pt

Ele passou os últimos 15 anos a salvar baleias. Perdeu a vida enquanto resgatava uma

Um pescador canadiano, que dedicou vários anos da sua vida a salvar baleias, morreu esta segunda-feira, 10 de julho, momentos depois de ter salvo outro mamífero desta espécie.

Na segunda-feira, dia 10 de julho, Joe Howlett, um pescador canadiano de 59 anos, embarcou no seu barco para ajudar a resgatar uma baleia branca do Atlântico Norte que tinha ficado emaranhada numa corda de pesca.

O resgate foi repleto de urgência, assombrado pelos acontecimentos do mês passado, quando sete baleias do Atlântico Norte foram encontradas a flutuar sem vida no Golfo de São Lourenço, no Canadá. Com uma população global de cerca de 525 mamíferos, a série de mortes sugere que mais de 1% da população morreu nas últimas semanas.

A experiência de um homem que dedicou os últimos quinze anos da sua vida a salvar baleias, ao largo da costa do Canadá, não fazia prever que aquele seria o último resgate. Momentos depois de soltar o mamífero, a baleia atingiu Howlett. O impacto do movimento acabaria por retirar a vida ao pescador de lagostas da ilha de Campobello, em New Brunswick.

“Eles conseguiram soltar a baleia, mas depois alguma coisa estranha aconteceu e a baleia fez um movimento brusco que atingiu Howlett”, conta Mackie Green da Campobello Whale Rescue Team, que não estava a bordo da embarcação, à Canadian Press.

“Definitivamente que o Joe não iria querer que nós parássemos por causa disto”, disse Green que em 2002 já tinha juntado forças a Howlett para salvar uma outra baleia. “Isto era algo que ele amava”, acrescentou.

Numa declaração escrita, o ministro da Pesca, Dominic LeBlanc, ofereceu suas simpatias à família e aos amigos do Sr. Howlett: “Perdemos um membro insubstituível da comunidade de resgate de baleias. A falta da sua experiência e dedicação será sentida”.

Fonte: 24.sapo.pt

Austrália: Encontrados vestígios de medicamentos e inseticidas em sangue de tartarugas

Vestígios de medicamentos e inseticidas foram encontrados no sangue de tartarugas-verdes da Grande Barreira de Coral, na Austrália, indicaram hoje cientistas.

Os investigadores analisaram o sangue de tartarugas que vivem ao largo de Cleveland Bay e Upstart Bay, no estado de Queensland, e nas redondezas do grupo de ilhas Howick.

A equipa de cientistas, inclusive da Universidade de Queensland, descobriu vestígios de produtos químicos usados na indústria, de medicamentos para a gota e a insuficiência cardíaca e de um inseticida.

Algumas destas substâncias podem afetar as tartarugas, em particular o funcionamento do seu fígado.

Património mundial que se estende por 2.300 quilómetros, a Grande Barreira de Coral está ameaçada pela poluição causada por dejetos agrícolas, pela proliferação de estrelas do mar que destroem os corais e pelo aumento da temperatura da água.

Fonte: 24.sapo.pt

Pássaros, répteis, gatos selvagens e madeira apreendidos em mega-operação da Interpol avaliados em 4,8 milhões de euros

Uma massiva operação contra o tráfico de animais selvagens e madeira, realizada durante três semanas em 43 países, resultou na apreensão de produtos ilícitos avaliados em 5,1 milhões de dólares (4,8 milhões de euros), anunciou a Interpol.

http://thumbs.web.sapo.io/?epic=MjA4bLbprvMOhtTUDlab5Rl/YlCbDjU9EI42wfLL0okggl8Kg2CPCqr2zS+PDSamFkaQg3lH6M0y+jnNhX5w1WE62TYO3uF8NTO8uqM7YFiBTTg=&W=650&H=0&delay_optim=1

Os resultados da operação, com o nome de código “Thunderbird”, levada a cabo por polícias e alfândegas com a participação de agências de proteção do ambiente, das florestas e dos animais selvagens, foram apresentados na sexta-feira, 3 e março, Dia Internacional da Vida Selvagem.

Realizada entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a operação de grande escala resultou, até ao momento, na abertura de 370 investigações, as quais levaram à prisão de 89 pessoas.

Em comunicado, o secretário-geral da Interpol, Jürgen Stock, destacou que o sucesso da operação demonstra o que pode ser alcançado pela cooperação internacional.

Segundo a Interpol, a apreensão incluiu 60 toneladas de madeira, 4.770 pássaros, 1.240 répteis, 100 gatos selvagens, 2,75 toneladas de escamas de pangolim, 2,5 toneladas de marfim (bruto e processado), 25 toneladas de partes de diferentes animais e 37.130 de outros produtos, incluindo medicamentos e esculturas.

Cavalos-marinhos mortos em caixas de ‘snacks’

As autoridades dos Estados Unidos apreenderam 180 cavalos-marinhos mortos em caixas de ‘snacks’, enquanto em Hong Kong foram apreendidas 1,3 toneladas de madeira de sândalo escondidas num contentor procedente da Malásia.

O Dia Internacional da Vida Selvagem, que foi estabelecido pela ONU em 2013, celebra a Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção, conhecida como CITES, adotada a 03 de março de 1973.

“Dada a atual taxa de caça e contrabando, será que as futuras gerações vão um dia falar dos elefantes, rinocerontes e de muitas outras espécies em perigo [de extinção] como nós falamos dos mamutes?”, questionou o secretário-geral da CITES, John Scanlon, num evento nas Nações Unidas para assinalar o dia.

“Não podemos — e não devemos — permitir que isto aconteça”, afirmou.

Fonte: 24.sapo.pt

Ovar é o segundo município português a ter uma Provedoria do Animal

O município de Ovar tem em funcionamento uma Provedoria do Animal, com a qual se propõe defender os interesses dos animais, dando resposta a denúncias por maus tratos, reduzir o número de abandonos e promover adoções conscientes.

http://thumbs.web.sapo.io/?epic=MTkyMiiYTddDWUmlgJdcP9jX08MAWkcm9UPqVlC8V08e8PB4lLTolOeGuKFK2BawlaEVpp37ylBgIWhiWSNvXJXukWHIuM+aCfpZcm92nWJxYo8=&W=650&H=0&delay_optim=1

O município fica assim com um órgão consultivo exclusivamente dedicado às questões da saúde e do bem-estar animal, sendo que para o cargo de provedora foi nomeada a engenheira zootécnica e médica veterinária Sara Rola França. “Convém que não se fique com a ideia de que a Provedoria pode fazer mais do que aquilo que lhe compete, já que é um órgão meramente consultivo, mas o nosso objetivo é promover o respeito pelos animais e orientar as pessoas que não sabem como atuar quando os vêm sujeitos a violência”, declarou aquela responsável à Lusa.

“Nesse contexto, o facto de Ovar ser o segundo município português a ter uma Provedoria do Animal é um sinal claro de progresso por parte da autarquia, sobretudo num país em que, nesta como em tantas outras áreas, há muita legislação, toda ela pró-animal, a penalizar o abandono e a proibir maus tratos, mas depois, na prática, não há fiscalização que assegure a aplicação dessas leis”, realça.

Como exemplo, Sara Rola França refere que em 2015 “foram identificados em Portugal uns 10.000 casos de abandono de animais – número que parece claramente subestimado – e, nesse universo todo, só 13 situações conduziram à aplicação concreta de multas”.

A provedora do Animal em Ovar estabeleceu assim algumas prioridades para a sua atuação no concelho, sendo que entre essas se incluem campanhas de sensibilização junto do público infantil com vista a promover práticas de adoção responsável – porque “não se pode adotar um animal em cima do joelho, sem avaliar antes se se terá condições para acautelar todas as suas necessidades ao longo da vida”, explica.

O presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, defende que essa é uma estratégia determinante para evitar recorrentes situações de abandono num concelho que, “por estar encostado ao mar e ter uma larga área florestal, apresenta um número astronómico de animais errantes”.

“As zonas de praia e mata são mais desertas e é aí que as pessoas sem o mínimo de sentimentos costumam abandonar os animais quando já não querem ter o trabalho de tratar deles”, diz o autarca.

Evitar a proliferação de cães e gatos nessa situação passará agora pelo trabalho a desenvolver em conjunto pela Provedoria e pelos serviços médico-veterinários da Câmara, no sentido de assegurar “a prática de serviços de esterilização a preços uniformizados em todas as clínicas veterinárias do concelho”.

Outras medidas estão também em curso para “reduzir ou eliminar a praga de pombos que existe no centro de Ovar”, problema que Salvador Malheiro diz estar “a agravar-se nos últimos tempos”, com crescentes riscos ao nível do contágio de doenças e transmissão de parasitas.

Quanto a outras questões de interesse para a dignidade animal, sugestões ou denúncias, o presidente da Câmara informa que os munícipes podem agora apresentá-las através de um e-mail direto para a Provedoria, mas adianta já que, no caso específico dos animais errantes, melhorar a situação depende também de um outro projeto.

“Está em andamento a construção de um canil que irá servir todos os concelhos da Comunidade Intermunicipal da Ria de Aveiro e ter um polo em Ovar”, anuncia o autarca. “Já há financiamento garantido e, até porque agora há legislação muito rígida que não o permite, não vai ser um sítio para abate de animais”, conclui.

Fonte: 24.sapo.pt

A Internet está rendida à Nora e nós percebemos o motivo

Tem apenas três meses, mas os seus vídeos já somam milhares de visualizações na internet. Nora, uma cria de urso polar, é o mais recente fenómeno animal da web. E com isso pode chamar atenção para o risco de extinção da sua espécie.

A Internet está rendida à Nora e nós percebemos o motivo

Não custa muito ficar enternecido com as imagens de uma cria de urso polar. Mas o Columbus Zoo de Ohio, nos Estados Unidos, também é responsável pelo fenómeno Nora.

A cria foi abandonada pela mãe uma semana depois de nascer e, desde então, está aos cuidados dos funcionários do hospital veterinário do zoo, que têm partilhado vários momentos do crescimento da ursa. A internet, como se sabe, gosta muito de vídeos de animais, o que está a contribuir para a popularidade da pequena ursa.

Veja o vídeo.

http://rd3.videos.sapo.pt/playhtml?file=http://rd3.videos.sapo.pt/eA3sztltIkAmVhTJHqsz/mov/1

O próprio nome do animal foi escolhido através de uma votação online, que contou com mais de 88 mil votos e a participação de 115 países.

O vídeo mais recente, este que pode ver acima, faz um resumo dos últimos três meses da vida de Nora. A cria está a desenvolver-se muito bem, de acordo com informações divulgadas pelo zoo.

Os ursos polares estão em vias de extinção por causa do aquecimento global e do derretimento do gelo no mar. Estima-se que existam, apenas, 20 a 25 mil ursos polares em estado selvagem na natureza.

Com as atenções voltadas para Nora, o Columbus Zoo pretende alertar para esta situação e lembra que “todos temos a responsabilidade de proteger os ursos polares e preservá-los para as gerações futuras”.

Também ficou rendido? Pode acompanhar mais novidades na página de Facebook do Columbus Zoo and Aquarium.

Fonte: 24.sapo.pt