2015, un año que marca el inicio del fin de los espectáculos con animales

2015, un año que marca el inicio del fin de los espectáculos con animales

Defender a los animales es reconocer que aún existe esa mezquindad entre nosotros. Defender a los animales es aceptar la injusticia y el sufrimiento, pero con un reto y un sentido: transformarlos. Defender a los animales es aceptar que, a pesar de las resistencias, sí es posible transformar el dolor del que los humanos somos responsables.

Gracias a lo más de 100 voluntarios que hacen posible AnimaNaturalis, gracias a nuestros socios, a nuestros miles de activistas y simpatizantes en Argentina, Chile, Colombia, Ecuador, España, México, Perú y Venezuela, este 2015 seguimos abriendo camino a la justicia y a la compasión.

A lo largo de este último año y con el apoyo de miles, conseguimos que el Parlamento Europeo se opusiera al uso de dinero público que financia las corridas de toros. También presentamos el caso de las corralejas de Colombia en el Tribunal Internacional de los Derechos de la Naturaleza, en el marco de la COP21 en París… ¡y el Tribunal ha aceptado el caso!

Hemos seguido defendiendo a los toros, hasta lograr 31 municipios antitaurinos en España, y apoyamos la prohibición de las corridas de toros en Coahuila (México). Además, de la mano con otros colectivos como Diabluma, continuaremos hasta poner fin a las corridas de toros en Quito, Ecuador.

Tampoco hemos dado tregua a otros espectáculos crueles. Este 2015 entró en vigor el fin de los circos con animales silvestres en todo México. En Venezuela, San Cristóbal se ha convertido en la décima localidad que prohíbe los circos con animales en todo el país. En España, con la coalición InfoCircos, hemos logrado que unos 25 municipios también prohíban estos shows. Y como si fuera poco, gracias al esfuerzo conjunto con los valientes compañeros de FAADA, ya no habrá más espectáculos con delfines en el zoo de Barcelona (España).

Juntos, también pudimos esterilizar y brindar atención veterinaria a más de 400 perros y gatos en Perú, Colombia y México, evitando el sufrimiento y abandono de miles de animales.

Estas buenas noticias son tuyas. Pertenecen a cada una de las manos y los corazones anónimos que nos están demostrando que la realidad puede ser transformada y que vale la pena luchar por la empatía, la justicia y el amor.

Gracias a todos quienes abrazan la compasión y se atreven a alzar la voz por otros más vulnerables, sin complejos. Gracias por la inspiración. Gracias por contagiarnos la alegría de vivir por lo que vale la pena morir.

Continuamos la aventura del 2016 con un compromiso imperturbable: cambiar el mundo por los animales.

En nombre de los animales, ¡gracias por este 2015! :)

Fonte: ANIMANATURALIS

Como foi o ano de 2015

O Ano de 2015, foi um ano fantástico, na nossa vizinha Espanha, que se vai tornando cada vez mais anti-tourada!

E no diz respeito a Portugal, está tudo igual. Em Portugal não se aprende nada com o que está a acontecer cada vez mais, na sua vizinha Espanha!

2015, foi mais um ano em que ouvimos, em que lemos vindo dos Pró-tourada, a argumentação de sempre. Foi mais um ano em que eles a repetiram como um CD riscado. E mais uma vez, 2015, foi mais um ano, em que provas sérias, cientificas e éticas que provem a argumentação sobre o touro, não vimos. 2015, foi mais ano, em que mais uma vez, também não vimos, documentação oficial, do Governo, das Câmaras Municipais, e da União Europeia, que prove um dos argumentos dos Pró-tourada, de que a tauromaquia em Portugal não é financiada.

Ou seja; 2015, foi mais um ano, em que os Pró-tourada mostraram o quão não têm argumentos sérios e válidos!

Este foi um curto apanhado, de como foi o ano de 2015!

Mário Amorim

Quero ver…

Quero ver se em 2015, vou ver a cobardia do costume, por parte de quem defende a tauromaquia. Quero ver se vai ser em 2015, que eles, pelo menos uma vez, vão meter a cobardia numa gaveta e aceitarem um debate sério, ético e cientifico sobre a tauromaquia, na televisão, com a presença, por quem defende a tauromaquia, não de alguém que não respeita a ética profissional, mas alguém que não abdique de cumprir a ética profissional e que cientifica e eticamente, prove que o touro nasceu para ser toureado; que o touro gosta de ser toureado; que o touro não sofre; e que com o fim da tauromaquia e touro extinguir-se-á!

Quero ver se em 2015, vou ver a cobardia do costume, por parte de quem defende a tauromaquia. Quero ver!

Mário Amor

OS MEUS VOTOS (ABOLICIONISTAS) PARA 2015

«Enquanto eu conseguir discernir, recuso-me a engrossar rebanhos»

10304634_854743837910971_6250425925572440185_n[1]

Uma vez que, depois de longos anos a pugnar pelos direitos dos seres humanos nascidos e por nascer, com muitas mais vitórias pessoais do que derrotas, decidi abraçar a causa da Abolição da Tauromaquia em Portugal e nos outros oito países que ainda não saíram das trevas medievais em que continuam mergulhados por mera incapacidade mental dos seus governantes se libertarem dessa maldição, e de um sistema político onde impera a corrupção, a falta de vergonha na cara e a inexistência total de brio pessoal, profissional e humano, os meus votos concentram-se no mais profundo desejo de que todos os deuses e deusas de todos os olimpos abram, nas mentes desses governantes (que por qualquer razão desconhecida ainda não se aperceberam de que o ano de 2015, que agora se inicia, não é o do tempo dos hurritas, que viveram na antiga Suméria, mas sim o ano de 2015 depois de Cristo) um caminho para que a humanização, a lucidez, a lógica, a racionalidade, a ética, o bom senso, a sensibilidade, a cultura culta, a evolução e principalmente a luz do conhecimento possam ser assimiladas e postas em prática nos mais básicos actos da governação.

Basta de tanta escuridão.

Basta de tanta ignorância.

Basta de tanta incultura.

Basta de tanta insanidade.

Basta de tanta desumanidade.

Isabel A. Ferreira

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/os-meus-votos-abolicionistas-para-2015-499719

Que o ano que dentro de seis dias começa lhes traga o que eles tanto anseiam

imagem 2º imagem 21º

Que o ano que dentro de seis dias começa lhes traga o que eles tanto anseiam.
Que 2015 lhes traga a liberdade, a paz e o cocego que eles tanto anseiam, na Natureza, no campo, desde que nasçam até que morram.

Que 2015 seja o fim da barbárie, física e psicológica de que eles são vitimas, nas praças de touros.

Que em 2015, Portugal se dirija para a evolução!

Mário Amorim

Que 2015 traga a evolução em Portugal!

7654696-un-vecchio-grunge-flag-di-stato-portogallo

Que 2015 traga a evolução em Portugal. Que a consciência em Portugal de que os animais não-humanos não são para divertimento publico seja muito grande. E que essa consciência force os nossos legisladores a abolirem a tauromaquia; os circos com animais não-humanos e os espectáculos com golfinhos e focas.

Que 2015 seja o ano, em que Portugal se torna um país evoluído, abolindo todas as práticas em que animais não-humanos, são utilizados para divertimento publico!

Mário Amorim