Conheça Elizabeth Ann, a primeira doninha-de-patas-pretas clonada do mundo

A espécie, a única doninha nativa da América do Norte, já foi considerada extinta, mas foi trazida de volta do desaparecimento depois de um agricultor do Wyoming ter descoberto uma pequena população nas suas terras em 1981.

Uma equipa de cientistas norte-americanos clonaram com sucesso uma doninha-de-patas-pretas utilizando células congeladas de um animal selvagem morto, a primeira vez que uma espécie nativa em perigo de extinção foi clonada nos Estados Unidos.

Os esforços de recuperação da doninha-de-patas-pretas com o objetivo de aumentar a diversidade genética e a resistência a doenças deram um passo ousado em 10 de dezembro, com o nascimento de Elizabeth Ann, criada a partir das células de Willa, uma doninha que viveu há mais de 30 anos, indicou o US Fish and Wildlife Service.

“Embora esta pesquisa seja preliminar, é a primeira clonagem de uma espécie nativa ameaçada de extinção na América do Norte e fornece uma ferramenta promissora para esforços contínuos para conservar a doninha-de-patas-pretas”, afirmou Noreen Walsh, diretora do Serviço de Pradaria de Montanha Região.

A espécie, a única doninha nativa da América do Norte, já foi considerada extinta, mas foi trazida de volta do desaparecimento depois de um agricultor do Wyoming ter descoberto uma pequena população nas suas terras em 1981. Foram capturados para iniciar um programa de reprodução em cativeiro para recuperar a espécie .

Mas apenas sete dos animais selvagens originais se reproduziram, e todas as doninhas vivas hoje estão intimamente relacionados. Isto limita a diversidade genética das espécies, criando desafios para a resistência a ambientes em mudança e ameaças emergentes de doenças.

Elizabeth Ann é uma cópia genética de Willa, uma doninha-de-patas-pretas capturada entre os últimos indivíduos selvagens, que morreu na década de 1980 e não tem descendentes vivos.

O Wyoming Game & Fish Department teve a visão de preservar os seus genes e enviou amostras de tecido de Willa para o Frozen Zoo da SanDiego Zoo Global em 1988. Anos depois, estes genes forneceram culturas de células viáveis ​​para o projeto.

A equipa – que inclui o grupo de conservação de biotecnologia Revive & Restore, a empresa privada de clonagem de animais de estimação ViaGen Pets & Equine, a SanDiego Zoo Global e a Associação de Zoos e Aquários – está a trabalhar para produzir mais clones de doninhas-de-patas-negras nos próximos meses como parte da investigação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.