CAPICUA-TOURADA FRENANDO TORDO

 

Não importa Sol ou sombra
Camarotes ou barreiras
Toureamos ombro a ombro
As feras

Ninguém nos leva ao engano
Toureamos mano a mano
Só nos podem causar dano
Espera

Entram guizos chocas e capotes
E mantilhas pretas
Entram espadas chifres e derrotes
E alguns poetas
Entram bravos cravos e dichotes
Porque tudo o mais
São tretas

Entram vacas depois dos forcados
Que não pegam nada
Soam brados e olés dos nabos
Que não pagam nada
E só ficam os peões de brega
Cuja profissão
Não pega

Com bandarilhas de esperança
Afugentamos a fera
Estamos na praça
Da Primavera

Nós vamos pegar o mundo
Pelos cornos da desgraça
E fazermos da tristeza
Graça

Entram velhas doidas e turistas
Entram excursões
Entram benefícios e cronistas
Entram aldrabões
Entram marialvas e coristas
Entram galifões
De crista

Entram cavaleiros à garupa
Do seu heroísmo
Entra aquela música maluca
Do passodoblismo
Entra a aficionada e a caduca
Mais o snobismo
E cismo

Entram empresários moralistas
Entram frustrações
Entram antiquários e fadistas
E contradições
E entra muito dólar muita gente
Que dá lucro aos milhões
E diz o inteligente
Que acabaram as canções

FEDERAÇÃO E PLEIADIANOS – Neutralizam Mísseis Iranianos

Este vídeo é muito, muito importante.
E no fim contem umas imagens gravadas em vídeo.
VITÓRIA DA LUZ!

Muito Amor, Paz e Luz para sempre!
Mário Amorim


LINK DO VÍDEO

ESTUDO Conviver com cães na infância reduz risco de desenvolver esquizofrenia

Para desenvolver o estudo, pesquisadores analisaram os primeiros 12 anos de vida de 1.371 homens e mulheres entre 18 e 65 anos


Crianças que convivem com cachorros têm uma chance menor de desenvolver esquizofrenia na vida adulta, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins (EUA) publicada no periódico PLOS One.

“Transtornos psiquiátricos graves têm sido associados a alterações no sistema imunológico ligadas a exposições ambientais no início da vida, e como os animais domésticos geralmente são as primeiras coisas com as quais as crianças têm contacto próximo, era lógico explorar as possibilidades de uma conexão entre os dois”, diz Robert Yolken, líder do estudo.

Os cientistas analisaram também a relação entre transtorno bipolar e o convívio com cães, mas não encontraram nada significativo. O estudo descobriu também que não há qualquer relação entre a exposição a gatos na infância com o diagnóstico de bipolaridade e esquizofrenia. As informações são do portal Viva Bem, do UOL.

Para chegar a estas conclusões, os pesquisadores analisaram os primeiros 12 anos de vida de 1.371 homens e mulheres entre 18 e 65 anos, sendo que 396 deles tem esquizofrenia, 381 foram diagnosticados com transtorno bipolar e 594 que não têm nenhuma dessas doenças.

De acordo com estudos anteriores, expor crianças a gatos e cachorros pode alterar o sistema imunológico de várias formas, incluindo respostas alérgicas, contacto com bactérias e vírus.

Em 2017, cientistas descobriram que conviver com um cão antes de completar três anos de idade ajuda a reduzir em 40% as chances de se desenvolver asma quando adulto. O estudo analisou 20 mil crianças.

Para a doutoranda Silvia Colicino, líder do estudo, o facto dos cães serem mais “sujos” do que os gatos faz com que as crianças que convivem com cachorros sejam expostas a bactérias no início da vida, estimulando o sistema imunológico e aumentando a produção de anticorpos que previnem alergias.

Fonte: ANDA

SOLIDARIEDADE Soldados britânicos ajudam a salvar 17 rinocerontes negros ameaçados de extinção

O segundo batalhão real “Royal Gurkha Rifles” trabalhou em conjunto com a ONG African Parks e o departamento de vida selvagem para realizar a tarefa

Foto: African Parks

Tropas britânicas numa missão conservacionista ajudaram a realocar rinocerontes negros ameaçados em uma acção recente contra a caça.

De acordo com a Sky News, o segundo batalhão “Royal Gurkha Rifles” passou três meses no Malawi, na África. As tropas treinaram guardas florestais antigos e novos em patrulhas mais eficazes. Enquanto estiveram lá, eles ajudaram o African Parks – uma organização sem fins lucrativos de conservação que trabalha com governos e comunidades locais – a transferir 17 rinocerontes negros da África do Sul para o Malawi.

O Departamento de Parques Nacionais e Vida Selvagem Ezemvelo KZN Wildlife também trabalhou no projecto.

Rinocerontes negros em perigo

Foi uma das maiores realocações internacionais de rinocerontes até agora, atendendo aos animais transportados por terra e ar. As populações de rinocerontes negros caíram drasticamente no século 20 por ação de caçadores e colonizadores europeus.

Entre 1960 e 1995, o número de rinocerontes negros caiu 98%, para apenas 2.500, segundo o WWF (World Wildlife Fund). Suas populações fizeram uma recuperação dramática. Hoje, existem cerca de 5.500 desses animais vivendo em estado selvagem. Mas a espécie ainda está criticamente ameaçada. Eles ainda são alvo de caçadores, que matam o animal para vender seus chifres no mercado negro.

A missão de transporte teve “um enorme sucesso”, de acordo com o major Jez England, oficial que comandava a equipe de combate à caça do exército britânico em Liwonde.

Ele disse à Sky News: “Não apenas compartilhamos habilidades com os guardas florestais, melhorando sua eficiência e capacidade de patrulhar áreas maiores, mas também oferecemos uma oportunidade única para nossos soldados treinarem em um ambiente desafiador. Ajudar com a mudança dos rinocerontes foi um encerramento adequado para o nosso tempo no Malauí, aproximar-se dos animais que estamos aqui para ajudar a proteger foi uma experiência que os soldados não esquecerão”.

Até agora, as tropas britânicas ajudaram a treinar 200 guardas florestais no Malawi. Não há caça ilegal de “espécies de alto valor” (cujas partes do corpo alcançam alto valor no mercado negro) desde 2017.

O secretário de Defesa Ben Wallace disse à Sky News: “Trabalhar com comunidades locais, governos anfitriões e grupos de defesa de animais selvagens é essencial para nossa abordagem. Queremos ver soluções sustentáveis lideradas pela comunidade que ajudem a promover a segurança e a estabilidade para as pessoas e a vida selvagem da África”.

No Parque Nacional Kruger, na África do Sul, as autoridades estão considerando tomar medidas exclusivas para proteger a vida selvagem. O Times relata que selfies de turistas estão atraindo a atenção dos caçadores, involuntariamente, revelando a localização de animais em extinção. O parque está considerando obstruir os sinais do telefone como resultado.

O governo do Reino Unido comprometeu cerca de 192 milhões de reais entre 2014 e 2021 para  um programa de guarda florestal contra a caça, financiado pelo Departamento de Meio Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais.

Fonte: ANDA