PERDA DE HABITAT Urso polar faminto luta para ficar em pé enquanto procura desesperadamente por comida

De acordo com o WWF, devido à perda contínua e potencial de seu habitat e do gelo marinho, resultante das mudanças climáticas, os ursos polares tem encontrado dificuldade em achar alimento

Foto: Mediadrumimages/Joel Shutter

Fotografias fortes e comoventes tiradas pelo fotógrafo britânico-brasileiro, Joe Shutter, 30, mostram um urso polar magro e fraco lutando para ficar de pé enquanto busca por alimento. As imagens foram feitas na Groenlândia enquanto o fotografo fazia uma expedição pelo país.

Eles mostram o imenso urso polar extremamente magro lutando para se levantar enquanto sua estrutura esquelética se projecta através de sua pele flácida.

A criatura luta para conseguir andar e parece desanimada e exausta quando aponta o focinho manchado de lama em direcção à câmara.

Shutter disse: “Eu visitei a Groenlândia ano passado e tivemos a sorte de ver cinco ursos polares”.

Foto: Mediadrumimages/Joel Shutter

“Este ano, vimos apenas um – e ele estava em um estado deplorável. Não é garantido que você veja ursos polares, é claro, mas o que vimos era dolorosamente fino e cheirava a terra – não havia gelo ou neve ao seu redor.

“O capitão do barco em que eu estava – que visita esta parte da Groenlândia há mais de 30 anos – disse que o urso estava com problemas sérios, porque parecia fraco demais para sobreviver no inverno. Foi muito comovente, muito emocionante ver a cena tão próxima, assistir um urso em tão mau estado”.

Os ursos polares passam a maior parte de sua vida no gelo marinho do Oceano Árctico e uma população já estabelecida habita o norte da Groenlândia há gerações.

Geralmente, os ursos polares comuns têm uma espessa camada de gordura corporal e uma camada abundante de pelo repelente à água que os isola do ar frio e da água.

Foto: Mediadrumimages/Joel Shutter

Sobrevivendo principalmente de uma dieta de focas, que tem um alto teor de gordura, os ursos podem se sustentar por longos períodos sem comer.

De acordo com o WWF, devido à perda contínua e potencial de seu habitat de gelo marinho resultante das mudanças climáticas, os ursos polares foram listados como espécies ameaçadas nos EUA sob a Lei de Espécies Ameaçadas de Extinção, em maio de 2008.

Os cientistas dividiram a população total de ursos polares em 19 unidades ou sub-populações.

Desses, os dados mais recentes do Grupo de Especialistas em Ursos Polares da IUCN mostram que uma subpopulação está em declínio (mar de Beaufort do sul) e que existe um alto risco estimado de declínio futuro devido às mudanças climáticas e à falta de dados.

Foto: Mediadrumimages/Joel Shutter

“Acho que todos estamos cientes dos perigos que enfrentamos”, continuou Shutter.

“As questões da poluição por plásticos e da remissão do gelo marinho – são assuntos preocupantes e de grande impacto no planeta, estamos vendo seus efeitos ao vivo. Pode ter sido apenas um urso velho cuja hora havia chegado, mas o animal parecia não ter energia mais – não como os ursos brincalhões que vi no ano passado”.

“Acho que isso é o que mais impressiona na Groenlândia. É um lugar alucinante, simplesmente único. Mas é épico e frágil, você tem uma noção real do que está em jogo. Todos devemos fazer a nossa parte para proteger nossos ambientes de maior risco”, concluiu o fotógrafo.

Fonte: Anda