MANIFESTAÇÃO PACÍFICA ANTI-TOURADA EM PONTE DE LIMA

Porque Ponte de Lima não merece tão má sorte…

PONTE DE LIMA.jpg

Está prevista para o próximo Domingo, dia 10 de Setembro, uma manifestação pacífica, organizada por um grupo de activistas anti-tourada que pretende dizer NÃO a uma actividade que em nada dignifica Ponte de Lima.

A tourada integra-se no programa das Feiras Novas, uma iniciativa, portanto, a boicotar.

Liliana Marques, porta-voz deste movimento cívico, referiu: «Somos contra a violência. O nosso único objectivo com esta concentração pacífica, mas de protesto contra a tourada, é sensibilizar as pessoas para a necessidade de se acabar com estes espectáculos bárbaros» acrescentando que na segunda-feira foi comunicada à Câmara Municipal, PSP e GNR a realização desta iniciativa durante a edição 2017 das Feiras Novas, que decorre entre os dias 08 e 11 de Setembro.

O protesto pacífico que decorrerá entre as 16:00 e as 20:00 horas, está a ser convocado nas redes sociais, através da página “Ponte de Lima Sem Tauromaquia“, criada para este efeito, onde se diz que «Ponte de Lima tem tradições e costumes que, em pleno século XXI, não fazem sentido algum, como maltratar animais para divertimento do ser humano» apelando à participação de “todos os que são contra este acto bárbaro, doentio, psicopata e sádico” nesta manifestação pacífica.

O evento tauromáquico contestado, vai decorrer numa arena amovível, instalada no recinto da Expolima, para a qual se chamou a atenção das autoridades, porquanto raramente, nestas situações, a Lei é cumprida, o que leva à realização de actividades ilegais.

É de lamentar o regresso das touradas ao programa das Feiras Novas, depois de oito anos de interregno, o que significa que Ponte de Lima em vez de progredir, continua na senda do retrocesso.

Lamentável, senhores autarcas de Ponte de Lima.

Absolutamente lamentável.

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios

TVI NA FESTA DAS VINDIMAS EM PALMELA PROMOVE SELVAJARIA TAUROMÁQUICA

Ontem, e uma vez mais, a TVI demonstrou estar de pedra e cal na senda do retrocesso.

No Jornal das 8, apresentou uma reportagem que, camuflada na Festa das Vindimas, em Palmela, fez a apologia da selvajaria tauromáquica, entrevistando crianças a quem fizeram lavagem cerebral.

Foi triste, muito triste, ver aquelas crianças sem perspectiva de um futuro civilizado, com o aval da TVI… um canal para continuar a boicotar.

TVITOURADAS.png

Na referida reportagem, vê-se um terreiro medieval, para onde atiraram um Touro embolado, completamente perdido, fora do seu habitat natural, rodeado por “gente” histérica.

Tal cenário remeteu-nos para a Idade Média, quando o povo inculto, se divertia a maltratar animais, anões e gente desfigurada.

Uma rapariga, a quem a jornalista perguntou se alguém se fere nestas largadas, respondeu que o “um senhor levou porrada, mas faz parte…».

Faz parte. Leva-se porrada, fica-se estropiado e até se chega a morrer, nestas imbecis largadas de Touros. Mas… faz parte. E o fatalismo deste “faz parte” diz da mentalidade pobre desta gente, criada para ser imbecil o resto da vida.

O que mais me chocou, ao ver esta reportagem, foi a lavagem cerebral a que são submetidas as crianças, que crescem naquele ambiente selvático, e para quem o sofrimento do touro é completamente indiferente.

Um pai, com um filho ao colo, chegou a perguntar-lhe em frente à câmara da TVI: «diz o que queres ser quando fores grande». O miúdo hesitou. Hesitou… mas lá foi dizendo com dificuldade: «quero ser bandarilheiro» (é que bandarilheiro é uma palavra penosa até no pronunciar). E o pai riu-se, satisfeito com esta futura “profissão” do seu filho.

Bem, isto foi de uma miséria moral, cultural e social extraordinária.

Se não soubesse que a TVI está comprometida com o retrocesso, diria que esta reportagem foi realizada com a intenção de chamar a atenção precisamente para essa miséria.

Mas infelizmente não foi.

A TVI está a promover a selvajaria tauromáquica.

E nós, Portugueses, comprometidos com a excelência, temos de a despromover, como já despromovemos a RTP1 e a CMTV.

Isabel A. Ferreira

Fonte: Arco de Almedina

Subsídios públicos às touradas atingem milhões de euros

A tauromaquia, só ainda existe em Portugal, graças aos 16.000.000 € de subsídios públicos, que anualmente recebe.
Estes subsídios, contrariamente ao que os psicopatas tauromáquicos afirmam, sustentam esta actividade bárbara, em Portugal.
Sem eles, a tauromaquia, já não existiria em Portugal!


A associação Animal anunciou hoje que vai apresentar, no parlamento, uma iniciativa legislativa de cidadãos para pedir o fim da atribuição de subsídios públicos à atividade tauromáquica, que atingem os milhões de euros desde 2009.

Esta iniciativa faz parte de uma campanha contra as touradas hoje lançada pela Animal e que tem como objetivo expor o dinheiro do erário público que subsidia a atividade tauromáquica.

A presidente da Animal, Rita Silva, disse à agência Lusa que a campanha “enterrar touradas” consiste na recolha de assinaturas para entregar na Assembleia da República uma iniciativa legislativa, em formato de projeto-lei, para pedir que não sejam dados qualquer tipo de financiamento do erário público, seja direto ou indireto, à atividade tauromáquica.

Rita Silva adiantou que a recolha de assinaturas começa hoje e, no mínimo, têm que ser alcançadas 20 mil.

Esta iniciativa vai ser entregue no parlamento após várias petições terem dado entrada na Assembleia da República e não terem originado um consenso.

“Agora vamos por as pessoas a legislar, é uma ferramenta que temos ao dispor, vamos utilizá-la”, afirmou a mesma responsável, dando também conta que vão ser entregues no parlamento exemplos detalhados de dinheiros públicos atribuídos localmente à tauromaquia.

 Durante a campanha, vão ser divulgados publicamente, através do site http://www.enterrartouradas.org, as verbas gastas por juntas de freguesia e câmaras municipais à realização de atividades tauromáquicas, além de outros apoios públicos indiretos, como da União Europeia.

Segundo a Animal, entre 2009 e 2017 já foram atribuídos pelas autarquias apoios públicos de milhões de euros para esta atividade.

A associação avança que, por exemplo, nos Açores, entre 2004 e 2010, foram gastos 2,6 milhões de euros.

A presidente da Animal avançou que as verbas vão ser atualizadas diariamente no site da campanha.

“Anualmente, muitos órgãos do poder local oferecem [direta e indiretamente] subsídios para eventos tauromáquicos, quando, infelizmente, muitos dos concidadãs estão numa situação de desemprego, precariedade e até mesmo fome, incluindo crianças e idosos que não têm apoios sequer para as necessidades básicas. A maioria dos concelhos que disponibiliza dinheiro para eventos tauromáquicos não dispõe sequer de um gabinete de apoio à vítima”, lê-se na iniciativa hoje lançada.

Fonte: Sapo24

MORREU UM FORCADO QUANDO TORTURAVA UM TOURO MORIBUNDO

Morreu o forcado colhido pelo Touro que estava a torturar, e o qual, apesar de moribundo, conseguiu reunir derradeiras forças para se defender do seu carrasco, como é de seu direito e instinto.

Não aplaudo a morte de um carrasco. Obviamente. Mas também não a choro. O mundo libertou-se de uma criatura que passou a vida a torturar Touros moribundos. Não surpreende que tivesse acabado a vida deste modo, porque colheu simplesmente o que plantou.

FORCADO MORTO.png
Pedro Primo, à esquerda, não resistiu aos ferimentos…

O mais insólito disto tudo, é que esta e outras mortes como esta, levam o carimbo do governo português, que nada faz para abolir esta prática cruel e violenta que mata animais não humanos (Touros e Cavalos) mas também animais humanos (os seus carrascos), numa escalada de violência que, ultimamente, tem-se verificado com muita frequência.

O forcado Pedro Primo, que tinha apenas 25 anos, e pertencia aos Amadores de Cuba, morreu esta terça-feira, num hospital em Lisboa, depois de ter sido colhido por um Touro moribundo, que reuniu as últimas forças, para se defender, com bravura, do ataque selvagem e cobarde dos forcados.

Pedro Primo despedia-se das arenas no passado sábado, em Cuba (Beja), durante uma corrida de touros à portuguesa, a mais cruel, a mais selvática de todas as actividades tauromáquicas.

Se ao menos os pais do Pedro lhe tivessem incutido valores humanos quando era criança… O que fazem os pais aficionados? Incitam as crianças a tornarem-se violentas e cruéis, inúteis, parasitas da sociedade. E isto tudo com o aval dos governantes e dos responsáveis pela Protecção de Menores…

O forcado foi transportado para o Hospital de Beja e, depois, transferido de helicóptero, para o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, onde acabou por morrer. E tudo isto pago com dinheiros públicos.

É de lamentar que ninguém aprenda nada com estas mortes inúteis e completamente insanas.

Ao Pedro Primo já não poderemos perguntar se valeu a pena andar a torturar touros, cobardemente, para morrer sem glória, numa arena, rodeado de sádicos. Lamento a inutilidade da sua vida, e ainda mais a insanidade da sua morte.

Mas aos outros forcados, pergunto: vale a pena semear violência?  É que os carrascos não terminam a vida tranquilamente, deitados na relva de um jardim, porque não o merecem. A Lei do Retorno é infalível e implacável. E colhemos sempre aquilo que semeamos.

Mais uma morte, na longa lista de mortos e estropiados nestas práticas violentas e cruéis, avalizadas pelo governo português.

Isabel A. Ferreira

Fonte da imagem:

http://www.jn.pt/local/noticias/beja/beja/interior/morreu-o-jovem-forcado-dos-amadores-de-cuba-ferido-durante-corrida-de-touros-8751039.html

Fonte: Arco de Almedina

Forcado dos Amadores de Cuba morre após colhida naquela praça alentejana

Mais um Psicopata Tauromáquico perdeu a vida.

Os forcados enfrentam o touro, depois dele estar mais morto do que vivo, e de estar num atroz sofrimento, depois de toda a barbaridade que foi vítima.
Ele quer é ver o fim de tudo o que se passou. E vêm um grupo de sujeitos cobardes, provoca-lo, e aumentar ainda mais todo o seu sofrimento.
Mas de quando em vez, o touro, no seu inteiro direito, fere gravemente, ou mata um forcado.
Paciência. Seja ou não um forcado, o touro tem todo o direito de se defender dos Psicopatas tauromáquicos que o torturam, que o provocam, e que aumentam ainda mais o seu sofrimento.
E foi isso que ontem aconteceu a um forcado dos Amadores de Cuba!


O forcado dos Amadores de Cuba, Pedro Primo, de 25 anos, morreu na terça-feira, numa unidade hospitalar em Lisboa, na sequência de uma colhida provocada por um touro, disse esta quarta-feira à agência Lusa fonte do grupo.