Apoio ao Director de Programas da RTP 1

Director de Programas da RTP 1, Daniel Deusdado, expressa publicamente a sua convicção de que “as touradas representam maus tratos aos animais”. Afirma ainda que “está fora de questão” aumentar o número de touradas televisionadas e que, “a haver mudanças, será para diminuir o número de transmissões”.

Quem quiser deixar um “gosto” ou uma palavra de agradecimento numa publicação do próprio no Facebook, pode fazê-lo em https://www.facebook.com/danieldeusdado/posts/1543990895662613

É óbvio que queremos zero transmissões de touradas, mas encaramos como muito positiva esta atitude do Director de Programas da RTP 1.


Daniel Deusdado

Touradas: estas foram as questoes do DN na quinta-feira. Nao houve mudanca nem declarações fora destas a qualquer jornal.

DN:
Tendo por base o exemplo da transmissão da Corrida TV Norte pela RTP1 no passado dia 17, a partir da Póvoa do Varzim, que obteve uma audiência média acima dos 400 mil telespectadores, fazendo subir a audiência média da RTP1 para os 13.1%, mais 1,7% em relação ao dia anterior (11.4%) e 1,6% em relação à sexta-feira anterior (11.5%), segundo dados GFK/CAEM, gostaríamos de saber o seguinte:

1. Qual é a posição da RTP sobre estes dados que parecem atestar o sucesso de audiências das touradas?
R:
O resultado de audiências não é relevante para a decisão de ter ou não touradas em antena.

2. Admite a RTP apostar/investir em mais transmissões de corridas de touros anuais perante estes resultados de audiências?
R:
Isso está fora de questão.

3. A RTP encara as corridas de toiros como um espetáculo com cariz cultural e com tradição?
R:
Não há um consenso no Parlamento ou na sociedade portuguesa sobre as touradas. Esta Direção de Programas diminuiu significativamente o número de touradas por ano — atualmente são apenas três. A haver mudanças, será para reduzir o número de transmissões, dada a minha convicção (subjectiva, obviamente) de que as touradas representam maus tratos aos animais e ser o Diretor de Programas o responsável pela transmissão.

Via Marinhenses Anti-touradas

A COBARDIA DOS PSICOPATAS TAUROMÁQUICOS!

Dizem os Psicopatas tauromáquicos, que são muito valentes ao enfrentarem o touro na arena de praças de touros.

Mas eles esquecem-se, que o enfrentar o touro que eles têm, mais não é, do que cobarde, pois enfrentam-no, em desigualdade para o lado deles.

O touro, ao ser enfrentado por eles, encontra-se psicologicamente muito desgastado, devido a ter sido maltratado antes da corrida, para facilitar a sua lide, e tem os chifres embolados, que também o desgasta, física e psicologicamente.

E depois, na arena, é mais maltratado, é vítima de tortura.

Seria valentia, se o touro fosse enfrentado no campo, na lezíria, em terreno aberto, com os chifres intactos, e sem a utilização de capa, de bandarilhas, com as próprias mãos. Ou seja; enfrentar o touro em pé de igualdade, de parte a parte. Mas não é isto que acontece. E não é isto que acontece, por cobardia, por medo. Eles têm medo, muito medo, de enfrentar o touro de igual para igual!

Mário Amorim

FIGUEIRA DA FOZ FICOU PARADA NUM TEMPO SUBMISSO À IGNORÂNCIA

Quando chegamos a uma cidade e nos deparamos com uma arena de tortura de bovinos ainda activa, apenas um pensamento nos ocorre: entrámos num lugar civilizacionalmente atrasado.

É o caso da Figueira da Foz que ficou parada no tempo em que uma burguesia parola ia a banhos e aproveitava para ver touradas.

Desde o século XIX que a Figueira da Foz promove tortura, crueldade, violência, sofrimento animal, tudo em nome de uma mentalidad

e tacanha que se recusa a evoluir e opta pela ignorância.

Estamos em pleno século XXI, e a Figueira permanece no passado, e a burguesia parola continua a ir a banhos e aproveita para ver touradas.

fIGUEIRA DA FOZ.jpg
O antro de tortura de bovinos que catapulta a Figueira da Foz para um passado que já passou

Mas as coisas estão a mudar.

Existe uma outra mentalidade evoluída que está a lutar para que a Figueira da Foz deixe esse passado e dê um salto para a modernidade.

Na Figueira somos anti-tourada.

Somos modernos. Evoluídos. Civilizados.

Por isso, no próximo dia 11 de Agosto, quando a RTP1, na senda da parvoíce, optará por transmitir mais um programa de violência em directo, com o aval do presidente da Câmara Municipal (mais um socialista adepto de políticas de direita, a pender para a dinastia filipina, que introduziu esta prática de broncos em Portugal), o qual não tem coragem de elevar a Figueira da Foz ao nível de uma cidade evoluída, lá estaremos para recordar aos envolvidos nesta selvática “diversão” que a Figueira merece coisa melhor.

O povo da Figueira da Foz não se identifica com esta selvajaria.

20265030_1391168300932172_4243278352408745813_n[1]

Fonte: Arco de Almedina

Grande vitória para nós, Anti-Tourada(e não antitaurinos)! Grande atitude por parte da RTP! RTP deixa de transmitir touradas

Diretor de programas da RTP afirma que a transmissão de mais espetáculos destes “está fora de questão”. Últmas transmissões acontecem no dia 11 de agosto e 12 de outubro.

https://i1.wp.com/oje-50ea.kxcdn.com/wp-content/uploads/2016/11/tourada.jpg

A RTP transmitiu recentemente uma corrida de touros que aumentou a sua audiência. A PróToiro considera esse aumento a confirmação do sucesso televisivo das touradas, ao passo que a Plataforma Basta (antitaurinos) duvida dos resultados, avança o Diário de Notícias. Para os antitaurinos se as “corridas” dessem audiências, então os três canais abertos não teriam reduzido ou mesmo deixado de transmitir.

Por sua vez, Daniel Deusdado, diretor de programas da RTP, afirmou que a transmissão de mais espetáculos destes “está fora de questão”.

A GfK/CAEM realizou estudos de audiência que mostram que a transmissão da Corrida TV Norte, no dia 17 de julho, a partir da Póvoa de Varzim, atingiu uma audiência média de 400 mil telespectadores, com picos de audiência a superarem os 600 mil. Isto significa que a subida média passou para os 13,1% na RTP, representando mais 1,7% em relação ao dia anterior e 1,6% face à sexta-feira da semana anterior.

Paulo Pessoa Carvalho, dirigente da PróToiro, considera isto como uma “prova de que o público português tem interesse em ver corridas de touros televisionadas e que não faz sentido reduzir as transmissões das touradas”, acrescentando considerar uma “atitude castradora por parte da RTP” as três transmissões agendadas para este ano e “o seu diretor de programas”, Deusdado, “parcial”.

“Lá porque não gosta de touradas, não tem de ser contra as touradas”, frisa a PróToiro, referindo que os aficionados “não estão a ser tratados de igual forma” pelo canal público. “Enquanto serviço público pago por todos, [a RTP] devia levar touradas às pessoas que não têm este espetáculo nas suas terras ou que não têm dinheiro para o pagar”, afirma José Fernando Potier, presidente da Associação Nacional de Grupos de Forcados.

Deusdado refere, em declarações ao DN, que o aumento de audiências “não é relevante para a decisão de ter ou não touradas em antena”. “Não há consenso no Parlamento ou na sociedade portuguesa sobre as touradas” refere o diretor de programas, quando questionado sobre se considera a tourada um espetáculo com cariz cultural e tradicional.

Sérgio Caetano, da Plataforma Nacional para Abolição das Touradas, Basta, referiu os dados que provam a perda de público nas praças de touros, nos últimos seis anos. Perda essa traduzida numa quebra de 680 mil espetadores, para menos de metade, relata o DN.

“Se as touradas dessem audiências as televisões iam apostar nesses programas. Mas não o fazem, porque isso não é verdade”, assegurou o responsável, que considera a transmissão de touradas pela RTP “o principal motivo de queixa” ao provedor Jorge Wemans que, por sua vez, após ter sido acusado de desrespeitar os “milhares de cidadãos” que denunciaram a transmissão em direto da Póvoa de Varzim, afirma ser preciso “obter legislação específica nesse sentido”.

Por fim, o Ministério da Cultura afirma que não se pronunciará ou intervirá, uma vez que “a responsabilidade pela seleção e pelos conteúdos dos diferentes serviços de programas da RTP pertence aos respetivos diretores”. A liberdade de programação é um instrumento decisivo do serviço público de televisão “pelo que só pode ser questionada em situações excecionais”, cita o DN.

As últimas duas transmissões dos espetáculos irão acontecer no dia 11 de agosto, pelas 22 horas, e no dia 12 de outubro.

Fonte: Jornal Económico

Comentário:

Não gosto de touradas,mas,caso os senhores que gostam tanto dos touros fizessem as touradas no meio do campo ou da lezíria e sem drogar,castrar,e injectar o animal com potentes calmantes,eu até gostava de ver os valentões das dúzias a tourear e a fazer pegas.

Ora nem mais. É isto mesmo!

***

Nós, que somos contra as touradas, somos anti-tourada; repito, anti-tourada, e não antitaurinos.
A PRÓTOIRO, e todos os restantes defensores da tauromaquia, são ANTITAURINOS. Eles sim, são os antitaurinos e não nós, que somos contra as touradas!

Mário Amorim

CONTEÚDO ANDA Famosa pista de corrida da Flórida anuncia fim da exploração de galgos

As corridas de cães galgos escondem uma realidade trágica. Como os cavalos explorados em corridas, os cães são descartados como objetos quando não ganham mais as competições e não geram lucro

Além disso, a indústria de corridas está repleta de corrupção, incluindo o doping de cães com cocaína.

Corrida de galgos

Reconhecendo as corridas como cruéis e desumanas, a maioria dos estados nos EUA não realiza mais a prática. Na realidade, de acordo com o Care2, seis estados norte-americanos – Iowa, Alabama, Arkansas, Texas, West Virginia e Flórida – ainda perpetuam a exploração, sendo que a Flórida possui 12 das dezenas de pistas de galgo que ainda restam no país.

Segundo o Care2, 383 galgos morreram nas pistas da Flórida nos últimos quatro anos, mas a prática ainda é permitida.

Porém, há um vislumbre de esperança para os cães, pois uma das pistas de corrida mais antigas do país, no Magic City Casino, em Miami, Flórida, anunciou que irá acabar com a crueldade.

Em seu lugar, serão realizadas competições jai-alai com humanos. Esta é a primeira vez que uma instalação para de promover corridas de animais enquanto ainda tem permissão para realizar outros tipos de jogos, segundo informado pelo One Green Planet.

Está é uma notícia incrível e pode sinalizar mais vitórias. Este tipo de “entretenimento” tem perdido o apoio das pessoas, já que a verdade por trás da indústria foi revelada, e, segundo notícias, o público das corridas de galgos na Flórida caiu 50% entre 2006 e 2014.

Fonte: ANDA

CONTEÚDO ANDA Grupo de cães protege bebê abandonado em estação de trem

Um grupo de cães salvou um bebê de seis meses de idade que havia sido abandonado em uma estação de trem em Hawrah de Kolkata, na Índia.

De acordo com o jornal Indian Express, a criança havia sido deixada em um banco na área de espera de uma das estações mais movimentadas da região de Bengala.

Cão protegendo bebê

Centenas de pessoas passaram pelo bebê que chorava, sem se importar. Até que um grupo de cães abandonados na estação, notou que a criança chorava e ficou de guarda protegendo-a por horas, até que alguém a resgatasse.

Um funcionário do local notou a movimentação dos animais e, ao se aproximar, percebeu que eles estavam protegendo um bebê e rapidamente acionou as autoridades. Os cães só saíram do lado da criança quando policiais chegaram para resgatá-la e levá-la ao hospital.

Infelizmente, os jornais locais não divulgaram qual foi o destino dos cães, que provavelmente permaneceram abandonados mesmo com a atitude heroica.

Fonte: ANDA

CONTEÚDO ANDA Touro incendiado em festival espanhol morre após tentar fugir em desespero

Um touro sofreu uma morte terrível em uma festa espanhola depois que os organizadores do evento amarraram tochas em chamas em seus chifres em frente a uma multidão

O touro aterrorizado de meia tonelada ficou confuso e correu em desespero, batendo a cabeça em um poste de madeira e morrendo instantaneamente com a colisão.

Touro tem os chifres incendiados

Ele faleceu no festival do touro em chamas na pequena cidade de Foios, a 16 quilômetros ao Norte de Valência, no Leste da Espanha.Inicialmente, ele foi amarrado a um poste de madeira no centro de uma praça de touros improvisada diante de uma multidão de centenas de espectadores.

Seus chifres foram incendiados antes que ele fosse solto. Desorientado e extremamente angustiado, ele correu uma curta distância antes de se virar e bater diretamente no poste em alta velocidade.

Centenas de pessoas assistiram à crueldade

Testemunhas disseram que o animal, do rancho Salvador Domecq, morreu imediatamente, de acordo com o Daily Mail.

No início do dia, o touro feriu a perna de um homem durante o festival ‘bous al carrer’, durante o qual os animais são forçados a perseguir moradores por ruas estreitas e pela praça da cidade.

O morador local, de 20 anos, foi tratado por paramédicos. Um vídeo do falecimento do touro foi postado online por ativistas pelos direitos animais.

Touro amarrado a poste

Um leitor comentou em um site de um jornal local: “Torturar animais não é divertido, é bárbaro”.

Os apoiadores dos festivais ainda possuem a ousadia de alegar que os touros não sofrem e que a tradição ocorre há mais de 400 anos.

Grupos espanhóis de direitos animais alertam que, infelizmente, existem centenas de festas similares que envolvem touros queimados em todo o país.

Fonte: ANDA