Por los animales en Mallorca

Por los animales en Mallorca

Estamos viviendo tiempos excitantes para quienes luchamos por los animales, especialmente en Mallorca. Llevamos varios años con la campaña Mallorca Sin Sangre, y hemos conseguido grandes avances contra las corridas de toros y los espectáculos con animales.

Ya hemos conseguido una veintena de ciudades baleares declaradas contra las corridas de toros, incluída Palma. Hemos reunido 165 mil firmas para presionar al gobierno para que legisle contra la tauromaquia, y conseguimos el compromiso de PSIB, Més per Mallorca y Podem. No descansaremos hasta que se firme esa ley. Hace poco, también hemos llevado a tribunales al bou de Fortnalux, que creemos que contradice la ley de bienestar animal.

Nos faltan horas del día para seguir trabajando, pero nuestro compromiso es no detenernos hasta lograr el fin de la tauromaquia y todo espectáculo que atente contra los animales.

Fonte: ANIMANATURALIS

***

Em Espanha, no caso em Mallorca, luta-se durante anos, mas os resultados aparecem. E vão sendo cada vez melhores.

Já em Portugal, não se aprende rigorosamente nada com Espanha. Luta-se, durante anos, mas ao contrário do que acontece em Espanha, os resultados não aparecem.

Em Espanha luta-se para se obter resultados. Como a marcha de Madrid do próximo dia 13, é disso exemplo. Luta-se para que os resultados, não só surjam, como sejam cada vez mais.

Já em Portugal, não se quer lutar a sério, tal como em Espanha, para se ver resultados.
Os resultados contra a tauromaquia, só aparecem se se lutar a sério. E aqui ao lado, em Espanha, sabem muito disso. E por saberem muito bem disso, a luta contra a tauromaquia em Espanha, vai ganhando. Vai ganhando cada vez mais! 

Que diferença…!

Mário Amorim

SeaWorld: Don’t Imprison Dolphins and Whales in New Asian Theme Parks!

É muito importante que esta petição, seja assinada.
O Sew World, é o mais importante show, com golfinhos e baleias do mundo. E o seu fim, será decisivo, para que futuramente, todos os shows com golfinhos e baleias, pelo mundo fora, (incluindo em Portugal), tenham fim, pois o lugar dos golfinhos e das baleias, são os oceanos, livres e em paz e sossego, e não presos/as em instalações como estas, para que pessoas se possam divertir, as custas do seu sofrimento!


The Chinese Zhonghong Zhuoye real estate group recently invested in SeaWorld, and acquired the rights to develop SeaWorld Parks in China, Hong Kong, Macau, and Taiwan. Although SeaWorld has agreed not to send orcas to Asia, the company still may send dolphins and other whales. The Zhonghong Zhuoye Group also may acquire orcas from other sources. We must convince SeaWorld and the Zhonghong Zhuoye Group not to imprison marine mammals in any new parks.

People around the world are learning that marine mammals suffer immensely and die prematurely in captivity.Denied the freedom of the ocean, these intelligent, family-oriented animals float listlessly or swim in circles in small, barren concrete tanks,” PETA President Ingrid Newkirk commented.

As an animal lover, I am horrified by the suffering of captive orcas and other marine mammals. There are numerous accounts of these magnificent creatures chewing on the concrete sides of their tanks, banging their heads against metal gates, and showing unnaturally violent and even psychotic behavior. In China, there are no federal animal welfare laws. For this reason, the abuse of marine mammals imprisoned in China would likely be even more horrific than that which occurs in other parts of the world.

Please sign this petition urging SeaWorld CEO Joel Manby to prohibit the use of marine mammals in any new parks. This petition will also be delivered to the Zhonghong Zhuoye Group – letting them know that people around the globe will not support parks that abuse marine mammals.

This petition supports the work of numerous animal welfare organizations, including PETA, Sea Shepard Global, and the Animal Legal Defense Fund, which have already requested that any new SeaWorld parks not hold animals captive for entertainment purposes.

ASSINAR PETIÇÃO

Em Portugal é; deixa andar, que a tauromaquia vai terminar!

Enquanto que mesmo aqui ao lado, em Espanha, quer-se ver resultados, e faz-se por isso. Em Portugal, não se faz para se ver resultados. Por exemplo; o ano passado foram debatidas duas petições anti-tourada na Assembleia da Republica. E agora deixo a pergunta: quem criou as petições, por ventura promoveu uma grande acção nacional, antes de irem a debate, no Parlamento, para pressionar, designadamente, o PS; PSD; CDS/PP; PCP? – Não. Não promoveu. Não fez nada. Esperou que fossem a debate. E o resultado foi o que na altura foi!
É isto que tem de mudar, em Portugal. Tem de se ter acção. Tem de se agir.
Por exemplo; tem de se olhar para o próximo dia 13 de Maio em Madrid, e fazer-se a mesma coisa em Portugal, mas nacionalmente, para que a dimensão seja realmente grande e force a abolição da tauromaquia em Portugal.
A luta anti-tourada em Portugal, tem de ser exigente.
Não pode ser o deixa andar; que a tauromaquia vai terminar.
Se se quer a abolição da tauromaquia, tem de actuar para isso.
Viana do Castelo, não pode continuar a ser a única cidade declarada anti-tourada.
Mas para isso, é preciso agir-se, como aqui ao lado, em Espanha.
Como já o disse aqui no meu blog; é necessário estipular-se um prazo, para abolição da tauromaquia. E depois fazer-se tudo o que deve ser feito, para que esse objectivo seja realmente alcançado. Na altura referi, 2020. E tem de ser 2020. A abolição da tauromaquia em Portugal, tem de ser abolida até, no máximo 2020.
Enquanto o movimento anti-tourada em Portugal não for um movimento exigente, um movimento que quer ver resultados, e que luta, com força, com garra, com afinco e com coragem para ver resultados, como se vê aqui em lado, em Espanha, em Portugal, não se irá a lado nenhum. As verdades são para serem ditas!

Mário Amorim

Criança de 4 anos em estado muito grave após ataque de cão. Dono já foi detido

Infelizmente, agora o cão, é que vai ser o culpado.
Nenhuma raça de cão é perigosa.
Os donos, como é este o caso, é que são perigosos.
Há sujeitos que não têm temperamento para ter um cão das ditas raças “perigosas”, por serem sujeitos agressivos.
Este dono é que é o culpado.
Que seja punido pela justiça!


O cão, de raça Rotweiller, feriu ainda outras duas pessoas, com menor gravidade.

Uma criança de quatro anos foi hoje atacada em Leça do Balio, Matosinhos, por um cão de raça perigosa, tendo sido transportada para o Hospital Pedro Hispano em “estado muito grave” e “praticamente desfigurada”, informou a PSP do Porto.

De acordo com informação entretanto adiantada por fonte do hospital, a criança encontra-se “estável”.

Segundo os bombeiros de Leça do Balio, em Matosinhos, que fizeram o transporte ao hospital, a menina “não corre perigo de vida”.

A criança apresentava ferimentos no couro cabeludo, ombro e numa mão. Contrariando a informação inicialmente adiantada pela PSP, os bombeiros indicam que esta “não estava em estado grave”

Segundo fonte da PSP do Porto, o alerta foi dado pelas 10:00 depois de um grupo de pessoas ter sido atacado por um cão de raça Rotweiller na Rua Padre Manuel Bernarde, em Leça do Balio, Matosinhos.

Além da criança de quatro anos, que ficou ferida com gravidade, o cão feriu ainda outras duas pessoas, com menor gravidade. Uma das vítimas é a mãe da menina, que, segundo os bombeiros, estava ferida sem gravidade no antebraço.

De acordo com a PSP, o cão andaria na via pública sem trela e sem açaime, acompanhado do dono que, após o ataque, fugiu com o animal. Fonte oficial da autarquia informou entretanto a Lusa que o homem foi detido pela PSP ainda antes das 13:00 e o animal recolhido no canil municipal.

Segundo a mesma fonte, o animal tinha ‘chip’ e estava legalizado, mas no momento do ataque não tinha açaime.

Fonte: DN

Coimbra Gatos bebés largados em saco à beira da estrada

https://i2.wp.com/static.globalnoticias.pt/storage/JN/2017/big/ng8472491.jpg

Quatro gatos bebés foram encontrados, este sábado, dentro de um saco, à beira da estrada, em Condeixa-a-Nova. Só dois sobreviveram, porque uma mulher que passava de carro se apercebeu da sua presença. Os outros, presume-se, foram atropelados.

Fontes ligadas à associação Agir pelos Animais, que partilhou o caso no Facebook, admitem que os animais possam ter sido atirados de um automóvel. Estavam no interior de um saco de plástico preto, numa zona de mato, junto à estrada que liga Condeixa-a-Nova e Taveiro, em Coimbra.

Uma popular que passou de automóvel viu um gato, parou, recolheu-o e levou-o a uma clínica veterinária, parceira da Agir pelos Animais.

Segundo contou ao JN Márcia Cardoso, que ficou como família de acolhimento dos animais, a popular estava “muito impressionada” por ter visto o saco “cheio de sangue” e pediu para voltar ao local, mas desta vez acompanhada. Quando regressaram, encontraram outro gato vivo mas os restantes estavam mortos.

Os gatos resgatados, que são macho e fêmea, têm pelo menos dez dias e estão a abrir os olhos.

O primeiro recolhido vai ser adotado por quem o encontrou e o segundo vai ficar disponível para adoção no Pet&Tea, o “cat café”, na Baixa de Coimbra, onde Márcia é relações públicas.

A maioria dos animais com que os clientes do Pet&Tea confraternizam pode ser adotada, no âmbito de parcerias com a Agir e outras associações, além do gatil municipal.

Fonte: JN

CONTEÚDO ANDA Cachorra visita mercado chinês diariamente para evitar venda de filhotes recém-nascidos

https://i0.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/04/dog-7.jpg

Esta é uma história extremamente tocante sobre uma cachorra que decidiu proteger seus filhotes enjaulados que estão à venda em um mercado chinês.

A cachorra de aparência entristecida vai diariamente até o mercado noturno ver seus filhotes recém-nascidos, que possuem apenas um mês de vida.

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/04/do2.jpg

Quando dois de seus filhotes foram vendidos, ela chegou a perseguir o comprador por algum tempo, em desespero para salvá-los.

As imagens foram capturadas em Hangzhou. O fotógrafo disse que estava a caminho de outro local quando viu uma multidão de pessoas se reunindo em torno da mamãe canina.

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/04/do3.jpg

A cachorra de três anos se chama Le Le. O proprietário da barraca do mercado alegou que Le Le tinha dado à luz quatro filhotes cerca de um mês antes e dois deles foram vendidos, de acordo com o fotógrafo, que preferiu permanecer anônimo por razões de privacidade.

Os dois filhotes foram colocados em uma pequena gaiola e o vendedor esperou por potenciais compradores, segundo informado pelo Daily Mail.

O fotógrafo acrescentou que sempre que as pessoas mostravam interesses e apontavam para os cãezinhos de Le Le, ela virava a cabeça para olhar os potenciais compradores, tentando protegê-los.

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/04/do4.jpg

Ele também foi informado de que Le Le era explorada pelo proprietário da barraca. Ela tinha dado à luz três vezes e, sempre que seus filhotes completavam um mês, eram colocados à venda nas ruas. Cada um deles foi comprado por 180 yuan (£ 20).

https://i0.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/04/do5.jpg

Depois que o fotógrafo publicou as fotos no site QQ, surgiram comentários criticando o proprietário da barraca.
Um usuário questionou: “Não sou um ativista, mas sei por que Le Le parecia tão triste. Por que [o proprietário] não podia deixar um cãozinho para Le Le?

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/04/do6.jpg

“Ela teve que suportar a dor de perder seus filhos, uma vez atrás da outra. O proprietário é muito cruel”, apontou outra pessoa.

“Para você, é apenas um cachorro, mas, para Le Le, trata-se do filho dela”, completou outra.

Fonte: ANDA